sábado, 30 de novembro de 2013

Análise Escrota: Mario is Missing!


Estavam com saudade desse quadro? Hoje ele volta a ativa! E não se preocupe, no momento que você estiver lendo esse post, já estarei produzindo a analise do Super Mario 3D Land. A Análise Escrota desse jogo foi sugerida pelo Gabriel Paulo, redator do blog. Já que gosto de sofrer com esses jogos ruins, decidi fazer mesmo essa análise. Pois bem, vamos analisar esse pedaço de merda!

Oh não... Um dos jogos educativos do Mario... Argh!


Sinceramente, não sei o que passa na cabeça desses caras. Luigi, um personagem muito carismático que sempre ficou nas costas de seu irmão, ganha seu primeiro jogo... educativo? Sério mesmo? E o pior de tudo, é que o jogo foi produzido pela mesma produtora do Mario's Time Machine, também lançado para o Super Nintendo. Mas porque Mario is Missing! é tão ruim assim?

Simples: É um jogo bem mal feito. De primeira vez, você até acha que ele é uma sequência do Super Mario World por causa dos gráficos. Mas meu amigo, está longe disso. Ele funciona de forma idêntica ao Mario's Time Machine, você terá que resolver tarefas educativas para prosseguir no jogo.


Na história dessa escrotidão, Mario foi sequestrado por Bowser e levado para o Polo Norte (Ou Sul, sei lá), então Luigi deve salvá-lo da maneira mais ridícula que os produtores conseguiram pensar: com lições educativas... Argh! Chega a ser vergonhoso isso, enquanto Yoshi iria ganhar seu brilhante Game em 1995 e Donkey Kong já estava se aventurando pelas selvas, Luigi estava aprendendo lições.

Mas vamos em partes. No jogo temos um Mapa grande que representa exatamente nosso Planeta, e em cada lugar teremos que resolver as tarefas. Esmagar Goombas e Koopa Troopas? Coletar moedas e crescer com Mushrooms? Pode esquecer. O jogo inteiro é na base educativa. Só em algumas partes temos algo relativo à franquia Super Mario, e olha que são poucas.


Mas se preparem fãs de Yoshi: O pobre dinossauro também está nessa desgraça. E até mesmo a Princesa Peach (Que aqui é uma garota de programa) faz suas aparições. As fases são péssimas, e 80% delas são idênticas. A Jogabilidade é outro contra. Ela simplesmente não funciona em nada. Luigi se movimenta mais lerdo do que uma tartaruga e o pulos aqui não funcionam de forma alguma. Existem casos raros de você encontrar um Koopa Troopa nas cidades, onde você precisa esmagá-lo e roubar sua sacola.

Parece simples, mas não é nem um pouco. Os pulos são desajeitados, e o desgraçado do Koopa Troopa corre na velocidade da luz. Ele irá escapar para outro lado da cidade, e você, Luigi com câncer nas pernas, terá que ficar que nem um otário atrás desta bendita tartaruga. E qual é função de Yoshi aqui? Simplesmente nada. Sua única função é como meio de transporte, mas isso só é usado no mapa! Ou seja, Yoshi não vai te ajudar porcaria nenhuma durante as fases (E quando ele aparece pra ajudar, ele te deixa mais lento ainda do que você já é).


Conclusão: Mario is Missing! é um jogo merda. Ele não é divertido e nem mesmo educativo. Sua jogabilidade é péssima e os gráficos... Bem, são os mesmos do Super Mario World, então não há criticas sobre isso. Vale ressaltar que o Weegee, famoso Meme de Youtube Poops, surgiu nesse Game na versão de PC (Lembrando que o jogo também tem versão de NES):

Olha ele lá no canto direito!
E você acredita que tenho o Cartucho desse jogo até hoje? Sim, eu tenho mesmo. Mas como não tenho mais Super Nintendo, ele está de enfeite na pratilheira. Só não detonei ele pelo fato de ele ser um raro item de colecionador na minha cidade. Já o Mario's Time Machine... Esse teve um fim trágico!

Tem coragem de assistir um Gameplay do jogo e baixá-lo ainda por cima? Confira abaixo!


Download!

Gostou da postagem? Comente e dê sugestões para outras desse tipo. Mario's Time Machine? Posso até fazer, se essa postagem conseguir um número de visualizações positivas. Essa postagem termina por aqui caros leitores, até a próxima postagem! =D

Atualizações No eShop-3DS

Eae galera!Beleza?Hoje vou lhes mostrar algumas atualizações no Nintendo eShop do Nintendo 3DS que se disponibilizaram ontem(29/11/13)! Vamos começar?Então vamos!

Youtube
Desde ontem no eShop do portátil se disponibilizou para download o Youtube(Aleluia!)Agora finalmente poderemos ver vídeos no 3DS!(Os vídeos não são em 3D)

Pokémon Best Wishes-Destinos Rivais
Ontem o lançamento de uma série muito conhecida no Anime Pokémon foi lançada para se assistir no eShop,Pokémon Black/White-Rival Destinies,no momento se tem os 10 primeiros episódios.Sairá mais episódios a cada semana.(Dublagem-Inglês;Legenda-Nenhuma)

Mario Em Promoção
A Nintendo eShop começou a duas semanas uma promoção de jogos de algum personagem por semana, na primeira semana tivemos Link na segunda Mega-Man e agora é a vez de Mario,seus jogos em promoção são : Mario-Nes,Mario 2-Nes,Mario Land 2 e Mario VS. DK.

Até a próxima galera!

sexta-feira, 29 de novembro de 2013

Overrated Games - Tomb Raider

Olá galera.

Este quadro chamado "Overrated Games" (mudei o nome),não aparece aqui no blog por um bom tempo (e a culpa é toda minha),então,resolvi traze-lo de volta.




Por volta de 2010,a série Tomb Raider,protagonizada pela heroína Lara Croft,estava "mal das pernas",recebendo poucos jogos,e estes mesmos,geralmente eram ruins (exceto Tomb Raider Legend,e o remake do primeirão,chamado Tomb Raider Anniversary).Então a Square Enix,que agora tinha o estúdio Crystal Dynamics em suas mãos,resolver fazer um Reboot da série.

Bom,primeiramente:
O que é reboot?
Reboot significa refazer algo,ou recomeçar.

Mas será que Tomb Raider precisava de um reboot?
Ele deu certo?
Veremos abaixo.
Tomb Raider Reboot foi lançado para PS3,Xbox 360 e PC.Você pode encontrá-lo também na Steam.

Irei explicar resumidamente a história de Tomb Raider Reboot.
Lara Croft está em sua primeira expedição,à bordo do navio Endurance (com seus ajudantes),e está na busca por um reino perdido do Yamatai.Enquanto os seus companheiros apostam que o reino está situado em um lugar,Lara aposta em outro,que aparentemente,era bem improvável.Mas por fim,os ajudantes decidem ir para o lugar que Lara quis.E isso resultou em uma tragédia.No meio da viagem,iniciou-se uma tempestade brutal,quebrando o navio pela metade.Lara caiu no mar,e logo depois pisou em terra firme,encontrando uma ilha.

É basicamente isso,se eu contar mais será spoiler.

Agora...este Tomb Raider mudou drasticamente em todos os sentidos.

Pra começar,a proposta do jogo era apresentar uma Lara frágil e inexperiente.
Só que o jogo acaba falhando nisso.
(SPOILER ALERT!)
 
Logo no começo do jogo,ela mata uma pessoa (pela sua primeira vez),mas para se defender.Inclusive ela chora por ter realizado esta ação ; mesmo que tenha sido uma questão de necessidade.
Entretanto,logo depois,ela sai exterminando todos ao seu redor ; matando logo a proposta do jogo.E isso só o começo.Algumas cenas são até hilárias,de tão exageradas.Há quem fale que a Lara Croft de antigamente era muito "apelona".Mas era até normal comparado com essa daqui.Veja: ela tinha treinado acrobacias e tudo mais,e por isso conseguia realizar grandes saltos e movimentos extraordinários.
Já essa,é "inexperiente",mas consegue escapar de um helicóptero,que vai se despedaçando rapidamente (e nem uma peça minúscula sequer toca nela).Sim,ela sai praticamente ilesa numa situação dessas.
E isso acontece várias vezes neste reboot.E o pior de tudo,é que isto também acabou - de certo modo - prejudicando a jogabilidade.


O começo do jogo é enjoativo.Você mais assiste do que joga,sendo que nestes poucos momentos de jogatina,estará apenas fazendo QTEs desnecessários ou caminhando por lugares extremamente lineares,como se uma barreira estivesse te impedindo de explorar os cenários.Por falar em QTEs,eles aparecem frequentemente.

Numa parte em Tomb Raider,você será atacado por um lobo."Como me livrar dele?"
Simples,complete o QTE.Em outra,você terá que subir entre duas paredes de pedra.É só segurar "cima" no analógico e você estará logo lá em cima.
Ao decorrer do jogo,novos elementos da jogabilidade vão surgindo.Agora você pode explorar mais os cenários,explorar ambientes,e achar por itens,que servem pra criar algum novo objeto.Eles são minúsculos e estão espalhados por toda parte dos cenários.
A partir de um certo ponto,você também pode evoluir,e dar upgrade nas suas armas e habilitar novas habilidades.
O problema é que este sistema de upgrade não é muito funcional.Sabe aqueles itens que eu acabei de falar?
Então,é preciso coletar eles para evoluir e dar upgrade em qualquer coisa (já que matar ou fazer algo diferente disso não dá quase nada de experiência).
Mas o problema mesmo é que usaram essa coleta de itens em excesso,e vários deles servem só pra completar desafios bobos.E qualquer nova área encontrada,o jogo praticamente te obriga a fazer isso.
Alguns animais foram introduzidos no jogo,só que eles são quase nulos,e não fazem diferença nenhuma,pois só te dão mais pontos de experiência (ao invés de servirem como alimento para recuperar sua vida).
Há mais problemas relacionados a este mesmo sistema.A proposta do jogo era apresentar uma Lara frágil e inexperiente,não era?
Na jogabilidade,não vemos isso (e nem na história pra falar a verdade).
Lara já começa com pulos longos,já consegue se segurar em beiradas facilmente,e até atira bem.Assim como na história,isso não é gradativo.Ou seja,o sistema de XP (experiência) poderia até ser descartado.Poderiam muito bem terem colocado uma Lara com pulos curtos e sem precisão,e a medida que ela fosse evoluindo,seus pulos se tornariam melhores (sim,isso foi um exemplo).
Muitas pessoas reclamavam do combate dos antigos Tomb Raider,falando que "você só fica pulando e atirando".
Acredito que nesse jogo seja pior (atenção:não estou dizendo que eles eram ruins,só disse que nesse é pior),por simplesmente ser idêntico a todos os outros shooters.A mira da arma é ruim do início ao fim.Não adianta você ajustar sensibilidade,que pode até ficar pior ainda.Os cenários apresentam elementos de interação,mas somente perto do final do jogo é que eles começam a aparecer mais.A IA dos inimigos é ruim.Eles vão pra cima de você como se quisessem morrer.Também temos um sistema de combate corpo-a-corpo,que não é nada demais,e um sistema stealth,que nem é tão útil assim.
Saindo dos combates,e indo para um outro ponto fraco deste jogo: as cenas de ação genéricas.
Quem praticamente padronizou essas cenas,foi a série Call of Duty.Hoje vemos vários jogos que usam isso em excesso,e Tomb Raider Reboot não é uma exceção.
Veremos várias delas acontecendo por todo o jogo,e como em vários outros,elas são curtas,genéricas e exageradas.
Outro ponto fraco desse jogo,é que ele é repetitivo.Ele praticamente se resume a só ir em tal ponto do mapa,matar os inimigos,e coletar os itens.Isso é um defeito grave,ainda mais porque o jogo é linear,e não tem um mapa muito aberto,sendo assim,sua liberdade é mínima.
Mais pra frente em TR Reboot,por volta de 70%,o jogo começa a melhorar.Toda a ilha fica aberta para exploração,os cenários começam a ter mais interação,podemos descobrir tumbas secretas (que contém itens úteis),,e fazer puzzles legais (mas fáceis).
Eu diria que o jogo até lembra os antigos TRs.
Por falar em puzzles,eles tem outro "problema".Eles são legais mas tem uma habilidade chamada (por mim) de "Super Visão",que lhe mostra como fazer o puzzle (ou até te mostra exatamente aonde você deve ir).Pior que em alguns momentos,esta Super Visão é ativada automaticamente.
Nos antigos TRs,o único jeito de você obter uma ajuda,era consultando um detonado do jogo.
Tomb Raider Reboot também perdeu outras características importantíssimas de outros games da série.
Não temos a Croft Manor nesse jogo,que servia como um treinamento e também como um lugar totalmente explorável e cheio de segredos (ou podemos chamar de "extra de luxo").Nesse TR também,a Lara não pode nadar.
E ridiculamente,um personagem chamado "Ross" nos entrega as Dual Pistols (armas que são usadas pela Lara em todos os antecessores),mas não podemos usa-las,e simplesmente não há uma explicação para isto.E sim,isso foi um spoiler.Agora o sistema de vida é idêntico a maioria dos jogos atuais,recuperando-se automaticamente,e assim dizimando completamente os med kits.


Agora se prepare,respire fundo.Tomb Raider Reboot tem um Multiplayer.E ele,é,uma,droga!
As partidas são acessadas por meio de mapas,e é possível personalizar os personagens,as armas e colocar atributos especiais.Mas quando a partida começa a rolar,você percebe que o Multiplayer é uma bomba.
O gráfico aqui tem um tremendo downgrade,e o lag é frequente.Minha internet é ruim,mas pô,eu jogava Uncharted 2 e raramente ocorriam lags.
Os mapas são bem pequenos,e pra matar um inimigo,é preciso pregar o dedo,porque eles demoram um tempão pra morrer - deixando o jogo totalmente desbalanceado.E jogar contra caras com um level bem superior,é algo mais irritante ainda.É quase impossível de mata-los,pois eles terão equipamentos muito melhores,e obviamente já terão as "manhas" do mapa.Isso poderia ser facilmente resolvido com um filtro para buscar por partidas rankeadas.Ah,e é possível pegar itens aqui,para melhorar seus equipamentos.Mas é mais chato do que no singleplayer.
Lembram que eu já critiquei bastante o Multiplayer de Uncharted 3?
O de Tomb Raider Reboot,é tipo ele,só que piorado.Saiba que,é desequilibrado,descalibrado e frustrante.Portanto não vejo nenhuma razão pra jogar esse modo de jogo.
Graficamente,Tomb Raider é muito bom.Não é aquele jogo que puxa o console aos limites,mas é bonito de ser ver.Diria que cumpre muito bem o seu papel.Já trilha sonora não é marcante,nenhuma música realmente chama a atenção,porém o áudio é bem adequado.
A física de Tomb Raider é esquisita.Geralmente quando você mata um inimigo,eles ficam com as pernas para dentro,como se fossem cambotas.É normal isso acontecer (no jogo),e chega a ser até risível.Mais estranho ainda é a Lara pulando.Experimente pular com ela parada,e depois mexa no analógico/direcional.No meio do pulo,ela consegue mudar sua direção,arredando pra frente,pra trás e pros dois lados.
Tirando isso,ela é até boa,funciona bem em quase todo o jogo.

CONCLUSÃO:
Tomb Raider Reboot,é um jogo fraco,e um péssimo Tomb Raider - que me arrependi de ter comprado,e olha que eu sou fã da série.Era um jogo de aventura fantástico,que passou a ser um jogo de ação e shooter genérico.Acredito que seja por isso que o jogo tenha atingido um público maior,sendo que muitos elegem ele como o melhor Tomb Raider de todos os tempos,sem nem mesmo terem jogado um antecessor.

E respondendo a pergunta:
Será que um reboot era necessário?
Não.Explicarei o porque.
Se você observar bem,a série só teve 2 jogos decepcionantes:
Tomb Raider Angel of Darkness e Tomb Raider Underworld.
Então dá pra falar que é um número bem baixo,já que a maioria dos jogos são de alta qualidade ou que pelo menos são de qualidade razoável pra cima.Ou seja,não precisava de um reboot,até porque começar tudo de novo,é muito perigoso,e pode acabar piorando mais ainda a situação.

Anunciaram que esse jogo receberia uma continuação.O que eu espero dela?
Isso:
  • Tirem os QTEs
  • Adicionem uma justificativa para o sistema de level up e XP.Por exemplo:A Lara podia começar com pulos "errados",sendo assim será bem difícil pular com ela no começo.Mas se você for melhorando o atributo dela de pulo,os pulos serão mais fáceis.E isso vale pra todas outras habilidades como acrobacias e pontaria.
  • Puzzles inteligentes
  • Melhora na IA dos inimigos
  • Melhorem a mira das armas
  • Adicionem a Croft Manor
  • Adicionem as Dual Pistols
  • Porque não deixam a Lara nadar?
  • Tirem as sequências quase automáticas de ação,pois já tá ficando genérico
Adicionar elementos de sobrevivência como:
  • Tirar a recuperação de vida automática,e substituir por med kits,e qualquer alimento encontrado nos locais
  • A possibilidade de se misturar/combinar elementos.EX:Achei um bambu (sem besteira!),e uma corda.Cortei o bambu,virou uma vareta (LOL XD),peguei a corda e juntei,virou um arco.Podia ter como misturar até comida.
  • A Lara ficar com fome,e se você não comer algo,ela começa a ficar tonta (assim então dificultando os controles) e se ficar mais tempo sem comer morre,comendo bem a stamina e a vida dela aumenta um pouco,e se comer muito ela fica "pesada"
  • Poder improvisar na hora do combate,como pegar a flecha colocar no fogo e depois atirá-la com o arco
  • Melhorar a exploração nos locais,sem essa de ficar coletando inúmeros itens,ou seja,é só colocar vários elementos interativos
Extras:
  • Removam ou mudem completamente o Multiplayer
  • Coloquem vídeos,inclusive um mostrando todos da série (até os ruins)
  • Melhorem a trilha sonora
Chegamos ao fim da postagem galera.O que acharam?
Deixei de falar alguma coisa?
Então comentem.
Mais uma vez,lhes agradeço se tiverem lido a minha postagem,e até a próxima.

MegaMan Unlimited



Olá pessoal,sejam bem-vindo(a)s a mais um post,e é sobre o Fan-Game MegaMan Unlimited.
ATENÇÃO:o jogo não é original da CAPCOM.

Esse,na minmha opnião,é o melhor Fan-Game de MegaMan.

MegaMan Unlimited foir criado por MepaPhillX,além de outros que ajudaram,esse é estilo de MegaMan 3(slide,armas do rush,exceto o marine) e algumas partes de MegaMan 9 e 10

Fase da CometWoman
A história é assim: 9 Robôs atacam a cidade,e eles são criações de Dr.Wily! mas na verdade,Wily não fez nada disso,e propõe com  Dr.Light para acabar com isso,então eles descobrem que foi um vírus que está os controlando,até que Wily é sequestrado por um Robô misterioso,MegaMan então sai para resgatar Wily,que possivelmente possa ser a chave desse mistério,e agora que a nossa aventura começa.

O jogo possui 9 chefes (Isso mesmo, 9 chefes,quem jogou MegaMan V pro GameBoy sabe que o jogo tem 9 chefes)2 armas especiais do Rush (o Jet e o Coil,óbvio)ele possui 3 dificuldades,Original (nivel normal),Easy (bom para iniciantes) e Insta-Death(Para Hardcores,um hit morre na hora,e pra fuder geral,não te m E-Tanks),e suporte para
Fase do TankMan
controles,tanto que até pode usar o controle de NES pra jogar Hehe.

E não se esquecer do Eddie,que vem toda fase para dar algum item aleatório (ás veze tem tanta sorte que ganha uma vida) o Beat,que te impede de cair de um buraco,outro que ajuda a não morrer nos espinhos,e é óbvio que eu não poderia esquecer do Energy Balancer,que mesmo com o MegaMan na arma normal pegar um Energy up,recupera a energia de todas as armas,o mini E-Tank,quando se pega 4 deles,eles se unem,formando um E-Tank completo,e o W-Tank,que recupera a energia completa de todas as armas.Os controles são assim: A atira,Z é o pulo X é o slide e Q e W para trocar de armas.

Hora dos chefes:
NailMan
Feito para construções e criações para Dr.Wily,ele trabalhava junto de HammerMan,como NailMan era mais inteligente que HammerMan,e pelo fato dos 2 terem lutado um contra o outro,NailMan virou o Líder das construções,a arma ganha é a Nail Shield: um escudo de pregos (nem me pergunte o porque do chefe ser um prego) que quando aperta o botão de tiro novamente,o escudo vai pra cima dos inimigos.A música de sua fase tem percurção de marteladas e outros barulhos de construção:

TankMan"U"
feito com partes de armas do exército,TankMan comanda o exército de Wily,além de ter dois tanques nos pés,um canhão nas costas e no braço,ele atira três projéteis,a arma ganha é a Tank Arsenal,o mesmo que o chefe faz.A  música é bem legal:

CometWoman
Feita para observações no espaço,CometWoman tem um Propulsor atrás da sua cabeça,que faz ela viajar muito rápido,além de competir corridas com JetMan.A arma ganha é a Comet Dash,que é  um dash que atira dois projéteis encima e embaixo duas vezes.A música é boa de se ouvir:

JetMan"Y"
Criado para comandar as forças aéreas de Wily,JetMan é rápido a Terra e no Ar,seus mísseis nos braços servem para ele atirar,além de ter uma mira ótima,se bem que pelo fato de ter uma mira digital para acertar qualquer inimigo em uma certa distância.Sua arma ganha é a Jet Missile,um Míssil que pode perseguir o inimigo quando carregado.A música dessa fase é ótima:


Depois de derrotar 4 chefes,Dr.Light descobre que o vírus pode infectar e fica impresionado que MegaMan derrotou 4 dos 9 e não sofreu nenhuma mudança.


Yo-YoMan (nem me pergunte também dele ser um Yo-Yo)
Wily o criou em pensamento de criar um Robô que possa cortar qualquer coisa,mas que fosse meio "diferente",então criou Yo-YoMan,ele é alvo de piadas,mas não é uma boa deixa ele irritado,senão ele usa seus Yo-Yos que tem lâminas mortais (Se fudeu quem debochou dele) além de cortar tudo a sua frente (Se fudeu denovo),mas gosta de fazer truques,nas informações dele do jogo,ele diz "Cut the crap"que quer dizer "Corta essa bosta!".A arma ganha é a Yo-Yo Cutter,um Yo-Yo cortante,que quando usado no chão,ele faz um percurso.A música da fase desse chefe é boa:


GlueMan (Nem me...AH,você já entendeu)
GlueMan,assim como OilMan,foi criado para ser apenas um Robô de manutenção,porém Wily foi criativo e usou a cola especial que ele tinha,que grudava qualquer coisa,e transformou em uma arma (primeiro transformou um Prego em uma arma,depois um Yo-Yo,e agora uma Cola,esse Wily ta sendo criativo mesmo) as rodas nos seu pés deixa ele se locomover mair rápido,ele usa isso para acabar com sues inimigos quando eles estão imobilizados pela cola que ele atira.A arma ganha é a Glue Shot,um tiro que além de prender o inimigo,por ser usado quando plataforma quando usando nas paredes ou quando nenhum inimigo estiver por perto.A música é legal demais:

bixa HUE
RainbowMan"K"
Criado para controlar as nuvens,além de fazer o tempo ficar nublado,ele consegue confundir seus inimigos usando essas nuvens.a Arma ganha é a Rainbow Bean,que se atirar duas veze,cria uma onda de arco-íris que causa dano nos inimigos.A música desse chefe é até que boa:

TrinitroMan "O"
Ele foi criado para fazer uso de armas pesadas,a substância que le atira é Nitroglicerina(aquele gáz que em qualquer contato explode na hora),aos soltar esse spray,causa uma explosão miserável,além de saber usar pra fazer fogos de artifício,ele usa pra voar,a arma ganha é a Nitro Blast,um spray de Nitroglicerina que explode.A música desse chefe é sensacional:

YouMan(apenas obtendo as Yoku Letters)
Sabe as letras que coloquei nos 4 dos 8 chefes?,pois bem,esse tem as letras para acessar a fase desse chefe,que é o mestre das ilusões e do xadrez,além de saber criar aquele malditos blocos que desaparecem,essas ilusões confunde qualquer adversário,e também ele detesta o Rush por causa do Rush Jet e o Coil,por que o MegaMan não precisa passar com os blocos se ele pode usar o Rush.A arma ganha é a Yoku Attack,MegaMan cria um clone dele,e ele acerta o inimigo que estiver mais próximo e também os itens de recuperar energia.A música tem harmonia com o som dos blocos para fazer a música em algumas partes:

Depois MegaMan recebe uma mensagem do Protoman,e diz que achou o castelo onde Wily está sendo aprisionado.Mas,está quebrado,então ele simplismente desliga por algummotivo de perigo,então MegaMan vai até lá e acabar de uma vez por todas.

Na metado,MegaMan acha Protoman e Bass,Bass sai,enquanto Protoman fica,MegaMan vai até ele,mas ele diz para que ele não chegasse perto,e o que aconteçe? batalha,óbvio,após vencer protoman,MegaMan notou que ele estava sob o efeito do vírus,então chegou a hora do Boss rush na última fase (Só que não).

Após vencer os 9 chefes denovo,e o Bass,Wily ataca Bass,e diz que tudo era um plano dele,então vai a mais uma batalha entre herói e vilão.então MegaMan vence,só que Wily foge,depóis vai a mais uma fase,até que quando chega...Ah não...Elenão...Fudeu....

É o Zero! Agora a porra ficou séria!
Na batalha contra Zero ( em forma de prototipo) é obrigatório perder,nem adianta usar as armas especiais,pois ele é imune de todas armas,assim que MegaMan perde o Buster,Zero vai pra cima para o ataque de misericórdia,mas ele tem um curto-circuito e é levado pelo Wily,MegaMan então sai de lá,mas ficou inconsciente,até ser resgatado,e não foi o Protoman,nem o Bass,então ele é concertado e recupera seu Buster.

Você sabia que o MegaMan Unlimited antes era o MegaMan 10 no começo? antes do MegaMan 10 ser lançado,depois de ser lançado,o nome mudou pra Unlimited (sem limites).E além do mais,um novo chefe está sendo feito e  uma nova fase também,o nome do chefe é WhirpoolMan,e ele aparecerá,mas não estará na versão que tem.veja o vídeo de prévia desse chefe aqui,agora veja sua imagem:
Para baixar o game,clique aqui,para baixar a versão para apenas Speed Runners (para fazer speed runs),clique aqui,no meu caso,finalizei ele já(exceto a versão de speed run)gostou do post? comenta aí,se puder,por que ultimamente tá tendo poucos comentários,bem,por hoje é só pessoal,vejo vocês no próximo post!

quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Festas, Trapaças e Muita Briga na série Mario Party! - Parte 2


Depois de 5 jogos relevantemente bons, a Hudson Soft e principalmente a Nintendo, estavam muito satisfeitas com o rumo da série. O GameCube, console onde se estava apostando vários títulos da série, não iria parar com apenas dois jogos. Vamos continuar a relembrar o rumo dessa franquia!

Mario Party 6: Inovando, Divertindo e Consagrando de Forma Inesquecível! 


Depois de 2 jogos lançados para o GameCube, a Hudson Soft lança sua nova cartada: Mario Party 6, que prometia consagrar tudo aquilo que os fãs conheciam sobre a série. E realmente, esse jogo consagrou. A história girava em torno de Brighton (Sol) e Twila (Lua), dois amigos que viviam juntos sobre os céus de nosso Planeta. Um dia, ambos discutiram para saber qual dos 2 era melhor (Eu pessoalmente prefiro o Brighton Haha), e eis que nossos heróis aparecem. Sabendo que com essa briga, nosso Planeta iria a ruína, Mario dá a ideia de todos fazerem competições através da nossa querida Party. E é ai que nossa aventura começa!

Temos todos os 10 personagens do jogo anterior (É engraçado que o Koopa Kid está do lado de Mario dessa vez), com a inclusão de um personagem desbloqueável: Toadette. Dessa vez temos apenas 6 tabuleiros novamente. Sim, perdemos um tabuleiro a mais. Porém, no Solo Mode, são acrescentados 3 novos que são úteis pra caramba para comprar novas coisas na Star Bank (Inclusive, é lá onde compramos e desbloqueamos a Toadette. Os tabuleiros do jogo são: Towering Treetop, Faire Square, E. Gadd's Garage (Sim, o professor maluco do Luigi's Mansion está aqui), Snowflake Lake (Lembra bastante a Chilly Waters do Mario Party 3), Castaway Bay e Clockwork Castle (Desbloqueável, comprada também no Star Bank). E os tabuleiros do Solo Mode são: Thirsty Gulch, Astro Avenue e Infernal Tower.

Porém, desta vez alguns tabuleiros possuem regras próprias. A Towering Treetop e a E. Gadd's Garage ainda mantém o velho estilo: Ir até o local da Power Star e compra-lá por 20 moedas. Já as outras possuem estratégias diferentes. Exemplo: Em Snowflake Lake, precisamos ir até uma casa de Chain-Chomp, lá pagamos 10 moedas para o colega e ele nos dá uma carona. Para que? Simples: Ao esmagar alguém, você obtém a Power Star deste adversário. Essas regras diferentes são muito boas, afinal tiram a mesmice de sempre dos jogos diferentes (Mas mesmo assim, são ótimos).

Mas a grande novidade que esse jogo apresenta é o sistema de Dia e Noite. A cada 3 turnos, o horário da partida é mudado. E essas mudanças são relativas. O Donkey Kong Space, que está presente no Dia e lhe fornece Moedas se vencer os Minigames do Donkey Kong, vira o Bowser Space a Noite e as coisas ficam ao contrário nesse caso. Em especial, as regras dos tabuleiros também mudam. Quer saber o que? Jogue o jogo meu amigo, vale a pena conferi-lo.

Nesse jogo, as Capsules foram substituídas por Orbs. E dessa vez, finalmente quando alguém cai no espaço em que você jogou o Item, os recursos perdidos dele vão para você. Existem diversas Orbs, e se eu falasse todas esse post seria praticamente uma analise desse jogo. Vale destacar que as Regras dos Tabuleiros do Solo Mode não são comprar Power Stars, e sim chegar ao final dele sem danos colaterais.

Enfim, Mario Party 6 é um excelente Game. É divertido e totalmente criativo. Na minha opinião, é o melhor jogo da série. Novamente, traz músicas ótimas (Exemplo aqui). Depois de 3 ótimos jogos lançados no Console, a Hudson Soft iria lançar sua carta final para o GameCube. Seria ela melhor do que as outras?

Mario Party 7: Trazendo Belíssimos gráficos e uma Jogabilidade melhor!


Em 2005, é lançado para o GameCube Mario Party 7, um jogo que é bem divertido. A história do jogo é bem irônica (Para não dizer que é zuada): Toadsworth (Do Super Mario Sunshine, trarei análise futuramente) convida Mario e seus amigos para uma féria de Cruzeiros. Mas Bowser, fica furioso por não ter sido convidado, e promete se vingar de todos eles. E é simplesmente isso. Eu não resumi e nem nada, essa é a história do jogo LOL

Ok, a história é bem clichê, vamos ver os personagens. Temos todos os personagens do jogo anterior, mas infelizmente, algum animal da Hudson Soft retirou o Koopa Kid da lista de personagens e o botou como vilão de novo. Não me pergunte o porquê. Temos aqui a inclusão de 2 novos personagens (Totalizando 12): Birdo e Dry Bones (Meu preferido deste Game). Novamente, temos 6 tabuleiros: Grand Canal, Pagoda Peak, Pyramid Park, Neon Heights, Windmillville, Bowser's Enchanted Inferno! (É isso mesmo! Bowser encarnou na pele de satanás e enviou todo mundo pro Hell!).

O jogo traz o mesmo sistema de Regras Diferentes para certos tabuleiros, Minigames legais e desta vez não temos mais o sistema de Dia e Noite. Então porque diabos esse jogo é bom? Simples: Seu modo de 8-Players. É inexplicavelmente divertido! São 4 times, com cada um com 2 pessoas. Além de todos jogarem no Tabuleiro, existe também Minigames de 8 pessoas!

Acredito que foi esse Modo que destacou tanto o jogo. Sim, é realmente muito divertido. Esse é o único Mario Party do GameCube tenho aqui em casa (Não foi por opção, peguei pelo fato dele ter sido o último da loja da minha cidade), e as vezes chamo a galera pra jogar no Modo de 8 Players. É hilário e ao mesmo tempo rico em diversão.

Enfim, Mario Party 7 é um jogo bacana. Sua história é clichê, mas o jogo é divertido de certa forma. Está longe de ser a porcaria que viria a seguir. As músicas aqui também são boas (Exemplo aqui). A série já tinha dado o que dar no GameCube, e agora era vez de entrar no mais novo console da Nintendo: O Nintendo Wii.

Mario Party 8: Gráficos de GameCube? Jogabilidade travada? EM?


Em 2006, não tivemos porcaria nenhuma de jogo. Em 2007, foi lançado Mario Party 8 para o Nintendo Wii. A história começa quando MC Ballyhoo e seu chapéu falante Big Top convidam Mario e seus amigos para sua festa de Carnaval (Sim, é quase a mesma merda do Mario Party 7). Porém, Bowser chega e rouba a Star Rod (Um item especial da festa), e Mario e seus amigos devem salvar o... item? Sério mesmo?

Sinceramente, o incentivo das histórias dos jogos estava cada vez pior a cada jogo. A jogabilidade é a mesma, os gráficos são praticamente os mesmos do Mario Party 7 (E olha que em 2007, foi lançado o Super Mario Galaxy, que traz ótimos gráficos). Temos a inclusão de mais 2 personagens: Blooper e Hammer Bros. E temos um total de 6 tabuleiros: DK's Treetop Temple, Goomba's Booty Boardwalk, King Boo's Haunted Hideaway, Shy Guy's Perplex Express, Koopa's Tycoon Town e Bowser's Warped Orbit.

A jogabilidade agora faz uso do Wii Mote. Vocês sabem: Apontar na tela e fazer os movimentos pedidos. A ideia aqui até que é bacana, o problema é que a bendita jogabilidade do jogo é travada! Confesso que uma Partida de 20 Turnos, que antes durava 30 minutos nos outros jogos, durou 1 hora nesta porcaria de jogo! Acontece muita merda nos Tabuleiros, muita coisa inútil... É inexplicável.

Houve a substituição das Orbs aqui por Candys, que lhe transformam em objetos que roubam moedas e itens dos adversários. Ok, eu confesso, isso é bem criativo e bacana. O problema é que existem poucos destes Doces, o que torna os itens repetitivos demais. O Bowser é outra coisa mal feita aqui, é fácil demais escapar de suas armadilhas. E o Donkey Kong mais te atrasa na partida do que ajuda. Os Minigames são muito repetitivos. Mesmo que haja bastante no jogo, são sempre os mesmos escolhidos na Roleta!

CANSEI DE FALAR DESSE JOGO! Conclusão: É um jogo bosta que não inovou praticamente nada. A jogabilidade é travada, os Minigames são chatos, os Tabuleiros são nada variados e os gráficos são péssimos para um jogo de 2007. Bem, pelo menos as músicas ainda mantém a boa e velha qualidade Mario Party (Exemplo aqui). Depois de uma puta cagada destas, será que a Hudson conseguiria recuperar a qualidade anterior? (Lembrando que o Mario Party DS, último jogo produzido por ela, irei falar mais tarde nesse post).

Mario Party 9: Novas Regras, Nova Diversão!


Em 2012, é lançado para Nintendo Wii Mario Party 9, que diferente do outro Game do Wii, esse é realmente muito bom. A história se foca em uma Noite onde nossos heróis estavam observando as estrelas, até que um deles avista Bowser e Bowser Jr roubando as Mini-Stars, que uma vez trazem a beleza dos céus. Bowser, sabendo que os heróis iriam tentar impedi-lo, ele invoca seus melhores vilões para aguardarem eles nos Tabuleiros. Eis que a história começa (Confessem, essa daqui tá muito melhor do que a dos 2 jogos anteriores).

Dessa vez voltamos a um total de 12 personagens (Afinal alguns eram inúteis e nada legais). Temos aqui: Mario, Luigi, Peach, Yoshi, Wario, Daisy, Waluigi, Toad, Koopa Troopa (Novo e disponível desde o início), Shy Guy e Kamek (Ambos novos que precisam ser desbloqueados, e participam dos Boards pelo Bowser). Temos um total de 7 tabuleiros: Toad Road, Bob-Omb Factory, Boo's Horror Castle, Blooper Beach, Magma Mine (Esse cenário dá pânico demais!), Bowser Station (Se você notar, os Tabuleiros do Bowser mudaram de Lava para Espaço) e DK's Jungle Ruins (Extra e Desbloqueável).

Agora a jogabilidade do jogo mudou por completo! Nada de comprar Power Stars por 20 moedas, agora todos os jogadores andam em um carro e navegam juntos por uma única linha reta. Não existem mais Minigames após um Turno (Em vez disso, os Tabuleiros estão lotados de Minigame Spaces) e nem Orbs ou Candys. Mas relaxe, o Game está bom sim! Existem espaços Verdes que não fazem nada, Espaços que lhe fornecem um Dado especial (O máximo de número antes de um dado era 10, agora é 6. Com dados especiais, você pode aumentar o número, deixar o dado lento a seu favor e etc) e Espaços que trocam a Ordem de jogada de cada pessoa.

Nos tabuleiros você irá encontrar Captain Events, onde quem estiver no volante do carro e o resto da tripulação irão participar de um desafio. O capitão irá escolher a ordem de cada jogador, e um dos 4 poderá ganhar Bônus se vencer o tal desafio. Esqueci de citar: Agora vence o jogador que coletar mais Mini-Stars durante uma partida. Existem também Boss Spaces, onde o jogador confrontará um dos 2 Bosses de cada Tabuleiro, e dependendo da posição você pode ganhar um certo número de Mini-Stars.

Os Minigames estão muito criativos e os gráficos são os mais belos que já vi rodando no Nintendo Wii. E vocês sabem, as músicas são ótimas também (Exemplo aqui). Enfim, Mario Party 9 é um excelente Game e está ao mesmo nível dos outros jogos (Os bons em! Tire o Mario Party 8 de sua cabeça). Quem fez esse jogaço foi a ND Cube, pois a Hudson Soft já havia sido comprada pela Konami nessa época. Enfim, já citei todos os jogos lançados para consoles, agora vamos aos portáteis!

Mario Party Advance: Um pequeno, mas belo começo para jogos portáteis da série!


Em 2005, juntamente com Mario Party 7, a Hudson Soft lançou para Game Boy Advance sua primeira tentativa de jogos portáteis da série Mario Party: Mario Party Advance era um jogo bem diferente dos outros da série. Novamente digo, é bem melhor do aquela porcaria lançada em 2007. A história começa quando Toad manda a turma de Mario um aviso que Bowser está atacando o Party World com milhares de Koopa Kids. Ele pede ajuda para os heróis, e é assim que a história começa!

O jogo traz apenas 4 personagens jogáveis: Mario, Luigi, Peach e Yoshi (Iremos perdoar por ser um jogo de GBA). E ironicamente, não existem Tabuleiros. Ao invés disso, temos várias cidades com vários objetivos a serem cumpridos. Esses objetivos, no caso, são Minigames. Andamos pelas cidades de carro (Mario Party 9 se inspirou nesse jogo) e devemos enfrentar inimigos durante a aventura. Vale citar que o Tumble, o Dado Azul do Mario Party 3, volta nesse jogo para ajudar o jogador em sua jornada. O Bônus Board, um modo especial do Game, é o único modo de jogar o jogo em Multiplayer. Joguei online através de um Emulador e me diverti com esse Modo.

Enfim, não há muito a se falar desse Game. Ele é um jogo simples, e serve mais como passa tempo. Mas mesmo com sendo tão simples, ele não deixa de ser divertido (E não, eu não achei uma música relativa a um Tabuleiro deste Game). A primeira tentativa foi bem simples, mas deu base a um dos melhores jogos do Nintendo Wii.

Mario Party DS: Dessa vez a Hudson conseguiu!


No final de 2007, a Hudson Soft lança para o Nintendo DS sua última cartada com a série Mario Party: O Mario Party DS. E sim, é um jogo bom. A história começa quando Bowser convida Mario e seus amigos para um Jantar, como um pedido de desculpa por todos esses anos de briga. Ele também convida Donkey Kong para esse Banquete. Mas quando os nossos heróis chegam ao local, Bowser os encolhe com sua varinha Minimizer e transforma Donkey Kong em pedra. Depois disso, nossos heróis são levados por Kamek pra bem longe. Quando caem em uma cidade, eles avistam Sky Crystals, objetos que podem transformá-los novamente em grandes. Porém, eles precisam pegar 5 destes, e um deles está com Bowser. E eis que a aventura começa!

Temos um total de 8 personagens, todos os mesmos de Mario Party 3 e Mario Party 4, com a excessão óbvia que Toad está no luga de Donkey Kong. Temos 5 tabuleiros aqui: Wiggler's Garden, Toadette's Music Room, DK's Stone Statue, Kamek's Library e Bowser's Pinball Machine. Cada Tabuleiro, trás um Boss próprio, e ao derrotar ele, o jogador irá ganhar um dos 5 pedaços da Sky Crystal. O sistema de jogo é o mesmo que estamos acostumados na série: Comprar uma Power Star por 20 Moedas.

Uma grande novidade são os Minigames com uso da Touch Screen do Nintendo DS, que são bem legais. No meu caso, que joguei no Emulador, foi com o próprio Mouse. Os itens aqui são chamados de Hex (A maioria), onde arrancam uma Power Star, arrancam 10 moedas e etc. Existem outros itens, como Star Pipe (Que leva o jogador diretamente a Power Star), Grab Bag (Que lhe permite roubar o item dos outros) e etc.

As batalhas de Bosses são bem divertidas, as músicas são boas (Exemplo aqui) e o jogo em si é muito bom. Mario Party DS trouxe inúmeras novidades. Eu poderia ter dito todas, mas o post ficaria muito longo. Este Game superou totalmente o Mario Party 8 em questão de qualidade e é um dos melhores jogos lançados no ano de 2007. Agora vamos falar do último jogo lançado.

Mario Party: Island Tour: Criativo e Divertido com selo de qualidade Mario Party!


Em 2013, é lançado para o Nintendo 3DS o mais jogo da série: Mario Party: Island Tour, que é um puta jogo bom. Mas ai tu me pergunta: Como eu sei que o jogo é bom? Muito simples leitor, um grande amigo meu comprou um 3DS e me pediu para ir com ele até São Paulo para comprar jogos. Lá ele me deixou comprar um jogo do Portátil, e qualquer hora que eu quiser (Menos nas horas que ele está jogando seus jogos) eu posso jogar este puta jogo bom. Aliás, foi por causa desse jogo que eu fiz todo esse trajeto da série.

A história do jogo é sem sentido, mas acredito ser menos pior do que a do 7 e do 8. Em um dia ensolarado, Mario e sua turma estão relaxando, quando de repente aparece uma carta convidando eles para a Island Tour, que os desafia para ver quem é o melhor deles. Bowser, sabendo do potencial do lugar, cria uma torre para tentar dominar a Ilha. Mas Mario e seus amigos tentarão impedi-lo disto.

A jogabilidade do Game, ao contrário do que eu esperava, está ótima e é bem fácil de acostumar. Temos um total de 10 personagens: Mario, Luigi, Peach, Yoshi, Wario, Daisy, Waluigi, Toad, Boo (Primeiro personagem jogável de um jogo da série a voltar novamente mais tarde; será que o Donkey Kong e o Koopa Kid terão a mesma chance?) e Bowser Jr (Meu preferido do Game, desbloqueado após completar a Bowser Tower). Temos um total de 7 tabuleiros: Perilous Palace Path, Banzai Bill's Mad Mountain, Star-Crossed Skyway, Rocket Road, Kamek's Carpet Ride, Shy Guy's Shuffle City (Só pode ser jogável com 4 pessoas através de uma partida local) e Bowser's Peculiar Peak. Cada tabuleiro tem suas regras próprias, como de costume.

Vale citar que todos os tabuleiros tem como principal regra o jogador chegar ao final dele (Inspirado no Mario Party 6). Bem, menos a Bowser's Peculiar Peak, onde o jogador deve ser o último a chegar (Pior mesmo é que o Bowser dá uma martelada em quem chegar lá, mesmo se for o próprio Bowser Jr!). Também temos aqui Tabuleiros que usam Cartas, ao invés de Dados como locomoção (Lembra até Sonic Shuffle, que trarei analise com toda a certeza). Os Minigames são ótimos, são bem variados e usam a Touch Screen de forma perfeita. Eu uso a Stylus, até porque com o dedo o negócio fica feio!

Enfim, Mario Party: Island Tour também é um ótimo Game. Seus tabuleiros são curtos, mas em compensação as partidas são muito divertidas. Os tabuleiros também são bem variados. Infelizmente, não tenho o link de minha música preferida para botar aqui, já que até agora nada de música do jogo foi botada no Youtube. Mas e você? Já jogou o Mario Party: Island Tour?

No final das contas, aprendemos muito com essa série. As piadas de "Mario Party O Destruidor de Amizades" e de Sorte são hilárias. Essa série toda (Tirando o 8, é claro) traz ótimos que me divertiram pra caramba nesses últimos anos. Acho que é a única franquia da minha vida em que joguei todos os seus jogos. Posso me considerar um fã louco por Mario Party. Eu sou Shadow Mario e agradeço a você ai que leu ambas as Partes dessa postagem falando sobre a série. Abraços!