domingo, 8 de janeiro de 2017

Review - Castle of Illusion Remake



OBS : não terminei o jogo original,portanto não vou comparar.

Muitos jogos antigos merecem remakes ou remasterizações.
É o caso de Castle of Illusion,jogo clássico do Mega Drive,que apesar de ter envelhecido bem,merecia um remake,já que seria interessante abordar aquele conceito de uma maneira mais evoluída,moderna.

Com isso em mente,a Disney,em parceria com a Sega (que fez o jogo com o estúdio Australia e também o divulgou),lançou um Remake,que prometia não só fazer uma homenagem ao clássico,mas também estender a mecânica com novos conceitos.

Qual foi o resultado?
Veremos agora.

[​IMG]
Castle of Illusion começa com uma introdução simples e direta (uma curta animação em 2D) : Minnie foi raptada por Mizrabel,e assim Mickey decide resgatá-la.

Logo de início,percebemos que agora o jogo tem um narrador,não só nas cenas,mas também no meio do jogo.

Ao contrário do jogo original,o jogo começa nos apresentando um castelo,onde podemos acessar as fases,ao estilo de Super Mario 64.
No entanto,a sensação inicial que o lugar passa é meramente ilusória,pois não há exploração e nem nada de interesse no mesmo,é apenas um lugar para se acessar as fases,com algumas gemas colecionáveis.

Como se não bastasse,esta sensação continua ao ir para as fases.
[​IMG]
O Remake tenta nos impressionar fazendo uma mistura de 2D com 3D nas fases,tanto na mecânica (em algumas partes em que você passa pelo background da fase,ou quando o jogo passa a te dar a liberdade de completar o personagem num ambiente 3D) quanto na parte visual (intercalando o foreground e o background da fase).
Porém,apenas a parte estética funciona.

As fases não apresentam um fator de interação com o cenário.A mistura não faz diferença alguma na jogabilidade,a interação com o cenário é inexistente e a exploração é simplória.
Como eu explico isso?
Aqui,ela tem uma execução muito porca,em que o design das fases não o faz querer ser explorado,nem traz algum desafio ao jogador.
Isto acontece porque,além dos colecionáveis não serem recompensadores,o falta algum tipo de indicador não intrusivo para que o jogador consiga ter uma ideia de onde estão os setores que podem ser explorados,e o que pode ser explorado.
Poderia ter facilmente um level design agradável e que "ensina" o jogador sem apresentar tutoriais,mas a falta de foco no desenvolvimento,deixou a estrutura diluída,tentando ser um mixo de platformer normal com um de exploração.

[​IMG]

As seções em 3D,além de serem poucas,são desnecessárias e esquecíveis.
Elas se encontram em espaços curtos,fechados,e sem apresentar nenhuma carta na manga.

Num jogo de plataforma 3D de qualidade,como Mario Galaxy e Banjo,é comum ver algum tipo de propósito e envolvimento com os cenários e os inimigos,ditando um ritmo com a junção de tais elementos (EX : plataformas giratórias ligadas a inimigos rápidos,que obriga o jogador a pensar rapidamente e executar os movimentos com precisão).
Em Castle of Illusion,tudo isso é feito como artíficio,nada mais nada menos.
Colocam uns colecionáveis na tela, uns puzzles terríveis no meio,e estão prontas as seções 3D.

Enfim,é uma tentativa de adicionar uma parcela extra à jogabilidade,mas que não traz nada de interessante à ela.
Ficou claro que isso poderia ser muito melhor utilizado caso adicionassem um puzzle que faz uso do 3D,ou algum tipo de mudança no gameplay.
Infelizmente nada disso acontece.

A dificuldade do jogo também é muito mal construída,pois é exageradamente fácil e não dá senso de progresso ao jogador (em que ele vai melhorando suas habilidades ao longo do jogo).
Os inimigos pecam ao não oferecer nenhum tipo de relevância no gameplay,porque eles não possuem um contexto dentro do level design (dá pra dizer que estão ali só por estarem mesmo,sem nenhum propósito).Já os outros obstáculos são tão ridículos que chegam a ser inúteis,visto que também não oferecem nenhum tipo de desafio ou possibilidades.
São colocados cenários plataformas largas e inimigos pequenos,com pouca verticalidade,e por isso há falta de desafio.
Sem falar que os continues são infinitos,à cada plataforma que você pula o jogo tem um checkpoint (aliás,ele nem mostra quando vai ter um checkpoint ou não).
[​IMG]
Os bosses levam ao máximo essa ideia de dificuldade implementada no jogo,e acabam sendo ridiculamente fáceis e previsíveis.
Com exceção do chefe final (que aliás tem um erro bizarro na câmera,no seu último ataque),todos os chefes não se impõem sobre o jogador,e a estratégia para vencê-los é muito parecida.

Agora,mais vergonhosa ainda é a física.
Ou melhor,nem parece que há uma física.
Ela é muito bugada (o sistema de colisão muitas vezes não funciona,com o Mickey não sendo detectado em alguns pontos,principalmente nos Bosses) e apresenta um controle muito ruim com o Mickey,que não tem um peso definido,e não se encaixa dentro do jogo.
Ter uma física ruim em um jogo de plataforma é fatal.

Visualmente falando,o jogo é bonito e muito colorido.
Nessa fase abaixo,fiquei até um pouco impressionado com a direção de arte:

No entanto,embora seja bonito,a parte técnica fica devendo.
As texturas são de qualidade questionável,e os cenários tem uma modelagem muito fraca.
Fora isto,o visual poderia ser mais apelativo,colocando talvez uma iluminação mais vibrando ou adicionando outros elementos no cenário.
Mas pra um jogo pequeno,não ficou ruim.

O mesmo já não se pode dizer da trilha sonora,que é extremamente sem graça.
A música tema é chatíssima e as melodias encontradas nas músicas das fases não conseguem criar uma atmosfera de fantasia.
Elas soam muito simples e os sons utilizados são muito baixos - isso bate muito com o que eu venho falando sobre trilha sonora nos jogos atuais.
Eu sinceramente fiquei muito decepcionado com isso,apenas uma música no jogo conseguiu me deixar imerso.

Além de tudo que já foi dito aqui,dá pra dizer que o jogo é bem curto.
Ele tenta suprir com algumas roupas personalizadas para o Mickey,mas elas não tem importância nenhuma para o gameplay.

Pontos fortes:
  • Visual bonito e colorido
  • Mistura do 2D com 3D bem implementada no visual
  • Cutscenes interessantes
Pontos fracos:
  • Curto
  • Esquema de fases mal explorado
  • Mistura do 2D com 3D mal inserida no gameplay
  • Level design sem inspiração
  • Física falha
  • Bosses esquecíveis
  • Fácil DEMAIS
  • Trilha sonora pequena
Conclusão :
Castle of Illusion é uma amostra de como NÃO fazer um remake.
As ideias podem ter sido muito boas,mas a execução foi muito fraca.

Um dos piores Remakes que já joguei...se não for O pior.

NOTA 4/10

[​IMG]