sexta-feira, 30 de maio de 2014

Vídeo de Gameplay de Mighty No. 9

Desde que Mighty No. 9 foi anunciado,quase não tivemos um pouco do gameplay do jogo...até agora,nesse vídeo de Mighty No.9,esse é o vídeo de gameplay do jogo,nele demonstrará um pouco de como será o jogo,e as fases e batalhas contra Mighty No.2 e Mighty No. 5,bem,pelo menos mostraram as habilidades do Mighty No. 2,e Beck terá uma espécie de Dash que causa dano nos inimigos e também o protege de ataques,mostrado na batalha contra Mighty No. 2,deverá ser muito eficiente nas fases,fiquem com o vídeo:

Para mim,ele ficou muito bem feito,as músicas são ótimas,e o estilo que eles deram está incrível,porém tem algumas coisas que não gostei como os tiros que não são tão poderosos e as animações de quando ele está andando,mas como ainda está em produção,algumas mudança poderão ser feitas.

O jogo será lançado na primavera de 2015,vamos torçer para que a nossa espera vale a pena e que ele cumpra seu papel de sucessor.O que achou do gameplay de Mighty No. 9? Comente,por hoje é só pessoal,vejo vocês no próximo post.

segunda-feira, 26 de maio de 2014

Análise : Sonic Spinball.


Olá, hoje eu pensei em falar de Sonic Spinball, não sei se já fizeram um post sobre isso... Mas fazer oque...Mas, antes vou esclarecer algo pros que se perguntam oque eu fiz esse tempo todo, uma imagem resume tudo:

O jogo:
Pra muitos, Sonic Spinball foi marcante, como pra mim, foi um jogo que eu joguei na infância, e que adorei, isso me dá boas lembranças de quando eu jogava no meu Mega Drive 5! \o/
Para quem não jogou, baixa a Room, Compre um Mega Drive, Ou jogue online sem baixar!
http://nesbox.com/pt/game/sega/sonic-spinball/rom/3fb84c8a3dcc64af079e4c37cd2ec8e0

Gameplay


Bem, bem, no jogo ao usar as Paletas, Você pode mandar o Sonic até qualquer parte da fase, dependendo de em que parte da paleta, percebi que os ângulos se alternam. no jogo, seu objetivo é passar pelas fases, abrindo caminhos, ou entrando neles já abertos. Aqui em vez de se conseguir vidas obtendo 100 Anéis, e sim com bônus, a cada 20,000,000 bônus uma vida será recebida. 
As Esmeraldas do Caos:
As Esmeraldas do Caos, estão presentes no jogo, mas não é possível virar Super Sonic, e no jogo, existem mais de 7, mas também são importantes, pois sem pega-las você não vai conseguir completar o jogo
Habilidades:
Pulo: Nas partes de ação ao apertar A, B ou C você pode pular, o Pulo é usado muito na fase 3, Pois tem mais partes que o Sonic pode ser movimentado como nos outros jogos da Franquia
Spin Dash: Serve bem para ganhar velocidade, ao estar andando, Aperte o botão para baixo e os de pulo.

A Trilha Sonora não me anima muito, pior que certas fases tem uma música irritante.
A velocidade que os produtores tiveram que trabalhar talvez fosse o problema, tipo, a tela se move lentamente demais até na velocidade rápida, fica meio difícil jogar deste jeito, pior que o jogo poderiar virar muito melhor, melhores trilhas sonoras, Gráficos melhores, etc... Se eles não tivessem que correr para ter algum jogo para o Natal, pelo menos é divertido, nas partes que você pode controla-lo andando, também há problemas... Você parece não ter um bom controle nele mesmo com ele no chão...
Chefes são até divertidos tirando esse problema da falta de controle... 
Os Bosses...:

Robo-Boiler

Navio de Robotnik

Scorpius

Veg-O-Machine

História:
A história é simples... Tails e Sonic Voavam quando um laser os atingiu e fez com que Sonic Caísse na nova fortaleza do Dr. Robotnik...

Gênero: Ação, Pinball.
Publicadora: Sega

Infelizmente esse jogo é meio curto para falar mais... Até mais.
Fiquem com o Pikachu de Pigode.

sábado, 24 de maio de 2014

Analise: Spider-Man (N64)


Saudações caros leitores! Hoje trago para vocês mais uma analise de um jogo do Nintendo 64. Dessa vez, a analise de Spider-Man, lançado em 2000 pela Activision e Marvel para o PlayStation 1, Game Boy Color, PC, DreamCast e o N64 que será o foco dessa analise. Sim, eu já joguei esse jogo no PS1, mas resolvi trazer a versão do N64 simplesmente por não ter quase nada de diferente da versão de PS1. Sem mais delongas, vamos lá!


A história do game se inicia em uma feira de ciências, onde Dr. Octopus está dando uma palestra sobre um de seus projetos. Nesta feira, Peter Parker e Eddie Brock estão tirando fotos para garantirem seu emprego no Clarim Diário, até que do nada, um falso Homem-Aranha surge e rouba o projeto de Dr. Octopus, assim como destrói a câmera de Eddie Brock. Enfurecido, ele se transforma no Venom e promete se vingar do cabeça de teia, sequestrando Mary Jane.

Mais tarde, Dr. Octopus e Carnage, jogam um gás tóxico na cidade, que impede que o aracnídeo desça pelas ruas. Sendo considerado culpado, Homem-Aranha então precisa se provar inocente, salvar Mary Jane de Venom, impedir Dr. Octopus e Carnage de dominarem a cidade de Manhattan e por fim, saber quem era o falso Homem-Aranha.

Devo dizer que até hoje me surpreendo com a história desse jogo. É um mix total de várias e várias HQs do cabeça de teia, que formam essa brilhante história que flui perfeitamente ao longo do game, com vários reviravoltas e a revelação do farsante.


Enfim, vamos ao Gameplay. Spider-Man é além de um jogo de ação/aventura, um Beat'em Up, o famoso gênero de espancar todos os inimigos que você encontrar. Essa união de dois gêneros fez o que os jogos 3D da Marvel, são até hoje, e tudo isso começou com o ao meu ver, melhor herói da empresa de HQs.

A jogabilidade em si é bem simples e muito bem elaborada. Com o A pulamos, com o B penduramos nossa teia no teto ou grudamos ela em uma parede próxima, com os botões "C", dois se utilizam de golpes (socos e outro chutes) e um outro se utiliza de soltar teias. É bom lembrar que, se apertarmos o botão de soltar teia, virando o analógico para algum lado, utilidades diferentes para a teia surge.

Para a esquerda, fazemos "luvas" de teia (Que dão mais dano nos inimigos), para direita criamos um escudo de teia em volta do aracnídeo, para cima ele lança uma teia mais reforçada que já abate o inimigo, e por fim, para baixo ele puxa o inimigo mais próximo em sua direção e o joga para longe. Também há o uso de agarrar o inimigo, onde podemos espancá-lo com socos e chutes.

É bom citar que as teias não são infinitas, e por isso, teremos vários cartuchos de teia espalhados pelas fases, que ajudam muito em batalhas contra chefes ou contra inimigos em grupo. Futuramente, no jogo, o aracnídeo consegue um lançador de teias de fogo, que cria teias que queimam os inimigos e que são muito mais resistentes. Assim como os cartuchos de teia, também encontramos várias "bolsas" de sangue, que recuperam nossa vida de danos.

Voltando com a jogabilidade, com o R, podemos nos pendurar pelos céus e ir em outros prédios. Sim, pelos céus até porque devido a limitação gráfica da época, não era possível fazê-lo se pendurar nos prédios. Essa limitação só foi rompida, anos mais tarde, em Spider-Man 2 da 6º Geração, baseado no filme de Sam Raimi. E para finalizar na parte de jogabilidade, com o L, podemos mirar nos inimigos ou em algum objeto para atirar nossa teia.


O jogo em si tem um total de 34 fases, sendo todas repartidas em seções. Sim, apesar da grande quantidade, elas são bem pequenas e são até consideradas "partes" das grandes missões do jogo. Essa interpretação do fãs é até bem aceitável, considerando que muitas delas acontecem nos mesmos locais.

Um exemplo são os prédios de Manhattan, que são bastante reutilizados durante o progresso do game. O que poderia ser considerado "chato" ou repetitivo, não acontece de fato, afinal eles reutilizam as fases de formas bem variadas e divertidas. Noturnas, em fuga, com missões dentro dos próprios prédios e por ai vai.

Um caso que muita gente comenta até hoje, é a neblina que fica abaixo dos prédios que mata o Homem-Aranha se ele descer até lá. Apesar das reclamações de muitas pessoas, o fato é que isso foi uma sacada muito inteligente da Activision. Era impossível fazer um jogo de mundo aberto com as limitações da época, por isso, preferiram criar a história de um gás tóxico para não deixar um imenso buraco negro abaixo dos prédios.

Os gráficos, para a época, eram bem bonitos. Se utilizando da mesma engine de Tony Hawk's Pro Skater, o jogo trazia belos visuais, tanto dos personagens quanto cenários. Há pequenas "diferenças" entre as versões de PS1 e N64, em relação aos gráficos.

Por exemplo, as cutscenes do PS1 são todas animadas, enquanto as do N64, são imagens com textos. Ao meu ver, ambas foram muito bem elaboradas. Enquanto as do PS1 trazem cutscenes muito bem feitas e animadas, as do N64, trazem um aspecto de HQs, com direito de até efeitos originais das obras de Stan Lee.

Os cenários em si das fases, são bem variados. Temos os já citados prédios (Por fora e por dentro), esgotos, laboratórios, bancos, áreas de construções e etc. Isso tudo, é claro, acima da neblina de gás tóxico. Há até uma batalha contra o Venom em um beco, que realmente fica abaixo dos prédios, mas creio eu que essa área tenha sido só feita em especial para a batalha do simbiose.


Além do Venom, Dr. Octopus e Carnage, temos a participação de vários outros vilões no jogo. Scorpion e Rhino, que inicialmente estão tentando machucar pessoas próximas ao Homem-Aranha, Dr. Lagarto que está liderando seu mini-exército de lagartos mutantes dos esgotos, Mysterio que traz com sua participação um grande reviravolta da história e por fim, Monster Ock, uma combinação do Dr. Octopus e Carnage que foi criada exclusivamente para este game. E sim, infelizmente, não temos a participação do Duende Verde neste game.

E além dos vilões, temos a participação de vários outros personagens, incluindo outros heróis da Marvel. Gata Negra, que tenta provar a inocência do Homem-Aranha, Demolidor que o ajuda a escapar da policia, Justiceiro que derrota vários bandidos para o Homem-Aranha escapar do local e ir atrás de Mysterio, Tocha Humana que conversa a respeito de sua inocência e por fim, Capitão América, que vem com a nave dos Vingadores para tirá-lo da explosão que ocorre lá pro final do jogo.

É possível utilizar outros uniformes além do tradicional do cabeça de teia, que são obtidos durante o jogo. Alguns deles, requerem que o jogador finalize em determinada dificuldade ou encontre pelas fases mesmo. O uniforme de simbiose, por exemplo, obtemos após finalizar o game uma vez. A lista de uniformes é grande, e podem trazer até novas horas de diversão ao jogador, afinal, muitas delas trazem características únicas que dão um ar a mais ao gameplay.

Spider-Man não traz músicas muito memoráveis, mas possuem lá seu charme. Exemplo disso é seu tema inesquecível, que ganha um remix genial nesse jogo. Enfim, deixarei aqui algumas músicas que gosto desse jogo:






O "estilo" musical utilizado neste jogo, realmente, combinou muito com as fases do game. A música "Rooftop", por exemplo, que toca em uma fase que fugimos de um helicóptero que atira misseis, combina totalmente com a atmosfera de adrenalina que a fase em si propõem.


Spider-Man é um clássico, e talvez seja mesmo o melhor jogo do Homem-Aranha (Ou o melhor jogo de herói já feito, como quiser). Depois desse jogo, tivemos sua sequência: Spider-Man 2: Enter Electro, que é tão bom quanto seu antecessor, mas que infelizmente, só foi lançado no PS1. Depois disso, a Activision começou a fazer jogos baseados nos filmes de Sam Raimi e, atualmente, nos de Marc Webb.

Seria ótimo ver um "Spider-Man 3" desta série, mas levando em conta a qualidade duvidosa dos novos jogos do cabeça de teia, é difícil imaginar coisa boa daqui pra frente. Dou meus parabéns aos 14 anos desse jogaço e que ainda seja lembrado por muitas e muitas gerações como, o jogo que definiu os games de heróis.

Gostou da postagem? Comente e deixe sua opinião! Já jogou esse clássico? Tem boas memórias dele? Qual seu game preferido do Homem-Aranha? Pode comentar ai que eu vou ler com toda a certeza. Essa postagem termina por aqui caros leitores, até a próxima postagem! =D

Com emuladores de graça na net, pra que serve o RetroN 5?

Depois de diversos cancelamentos em seu lançamento o RetroN 5 da Hiperkin deve finalmente chegar as lojas gringas com preços que beiram o inimaginável valor de $199,00 e que por aqui deve ficar na casa dos R$ 500,00.

Apesar de ser um jogador dos games clássicos chega a ser ridículo relançar um video game por esse preço e que ainda tenha que usar os antigos cartuchos das 10 plataformas que serão atendidas pelo novo velho console da Hyperkin.

Além disso atualmente não faz o menos sentido na minha opinião você pagar tal valor em um video game retro simplesmente para sentir-se vintage ou seja lá o que você achar que pode ser chamado, ou será que o pessoal da Hyperkin não conhece os emuladores que além de gratuitos rodam em pc, mac, ios, android, e até nos antigos symbian da nokia.
Você que lê agora pagaria a bagatela de R$500,00 por um monstro pré historico desses?
Eu já adianto que por muito menos eu compro um pc que rode tudo isso, ou até mesmo um tablet ou smartphone.
No video abaixo vemos uma demonstração do consagrado novo velho video game feito pelo pessoal do BJ na E3 2013.



E ai vai comprar?

Brothers A Tale of Two Sons um jogo novo com cara de jogos clássicos???

A industria dos games atualmente é povoada por um numero gigantesco de games para todos os gostos, ao mesmo tempo o número de produções indies lançados mês a mês vem provar que mesmo com grandes investimentos feitos pelas grandes produtoras atuais, uma boa parte dos principais jogos acaba por se tornar o mesmo do mesmo, ou seja, em sua grande maioria boa parte do que vemos é uma recompilação de historias que já foram contadas, tendo isso dito fica claro que a falta de criatividade atual, nos leva ao saudosismo de uma época onde muitos eram os títulos que possuíam diversidade em suas historias e também estilos.

Quando joguei pela primeira vez o jogo apresentado, percebi que mesmo sendo de uma produtora menos conhecida e com menos nome Brothers a Tale of Two Sons seria de alguma forma um jogo totalmente novo, o que me foi provado ser parcialmente verdade.

O que há de novo no jogo?

O grande destaque de Brothers a Tale of Two Sons não está em seu gráfico que para os padrões atuais é apenas mediano, mas sim em sua jogabilidade que em certos momentos irá cobrar um pouco mais do jogador, afinal, comandar dois personagens simultaneamente não é uma tarefa tão fácil, e é exatamente ai que o jogo se destacou.


Um sistema de câmeras competente

O sistema de câmeras do jogo é bastante competente, mesmo não sendo perfeito, e deixando o jogador em alguns apuros em alguns momentos não chega a comprometer a jogatina, com um jogo entre câmeras de visão 3d e 2d o jogo apresenta uma boa dinâmica nesse ponto, que aliado a sua boa jogabilidade mesmo que em certos momentos difícil ainda assim o sistema de câmeras do jogo me agradou bastante.


Uma trilha sonora simples e só

A trilha sonora, ponto essencial para qualquer game, é apenas uma coadjuvante durante todo o jogo, além disso seus personagens não falam um idioma compreensível, talvez pela proposta do jogo ou simplesmente por não ter recursos para desenvolver bons diálogos durante todo o jogo a produtora tenha optado por falas de um dialeto próprio, e nesse ponto o jogo me decepcionou um pouco.A falta de maiores diálogos durante toda a trama é decepcionante e nesse ponto ao meu ver o jogo pecou bastante.

Uma Estoria que poderia ser melhor

Um dos grandes problemas para boa parte dos jogos indie é sua falta de complexidade principalmente nos roteiros que tendem a se tornar rasos em sem profundidade, e o jogo apresentado acaba por pecar exatamente ai, claro que por se tratar de uma produção independente as ressalvas devem existir, mas mesmo assim poderia ser um jogo épico e ter tido muito mais sucesso entre os gamers, se exatamente em sua estoria o jogo nos apresentasse maior profundidade.

Vale a pena jogar?

Se somar-se a ótima jogabilidade e os seus gráficos medianos, juntamente com seu tamanho diminuto,inclusive para o seu Download, o game é uma boa alternativa para gamers que buscam um jogo ao estilo old school. Claro que como já dito ao pecar em uma trama fraca e sem profundidade e também por ser um jogo curto,além claro de sua trilha sonora fraca e a falta de diálogos mais compreensível, ele acaba deixando a sensação de que poderia ter sido melhor, ainda assim eu recomendo o jogo para quem quer um desafio razoável a algumas horas de boa diversão.


Em minha avaliação o jogo merece uma nota 7.7.

Deixe aqui seu comentário sobre o jogo ou sobre minha analise.


Rock n Roll Racing 3D Review

Para quem já jogou, ele é um dos jogos mais clássicos de todos os tempos, para quem ainda não jogou, a hora é essa.

Após quase um ano de seu lançamento, Rock n Roll Racing 3D atualmente é um game gratuito para Download sendo rodado exclusivamente nos Pc's. O jogo é um remake de Rock n Roll Racing lançado originalmente na década de 90 para os consoles da nintendo e sega da era 16 bits, e depois para o lendário Game Boy advance, acabou conquistando o amor de muitos gamers da época e teve seu remake sendo iniciado em um projeto da produtora Yard Team, seu inicio foi em 2008 e depois de 5 longos anos o jogo foi relançado com gráficos melhorados e jogabilidade dificultada, acabou arrebatando uma nova legião de fãs, porém como nem tudo é perfeito, a detentora dos direitos dos nameright's da marca entraram na justiça por quebra de direitos autorais, o que obrigou o site steam a retirar o jogo de seu catalogo de vendas e alterar alguns itens além claro de liberar o jogo para download de forma gratuita.

Vale a pena jogar?

Claro que para quem viveu naqueles dias saudosos da década de 90 vale e vale muito a pena jogar esse Remake, é como voltar a sua infância e reviver aqueles dias com uma nova roupagem, mas ainda o bom e velho rock n roll.

Porém para as novas gerações que já se acostumaram aos tão bons jogos que temos na atualidade, talvez para essa nova geração não será tão bom assim experimentar o jogo, que afinal é destinado quase que exclusivamente aos jogadores old school.




A Historia

Parte do desinteresse que o jogo pode causar nos gamers da atual geração, está em sua historia rasa e sem muito sentido, enquanto as corridas a bordo das maquinas assassinas do jogo é um belo desafio, a sua historia quase que inexiste, então se você é do tipo de gamer que curte uma boa historia com um roteiro mais bem desenvolvido e cheio de mistérios ou competições, esse jogo com certeza não será pra você.

Ponto forte

Por se tratar de um remake, o ponto forte do jogo é exatamente em ter mantido a essência do jogo original, mesmo tendo seu narrador original Lerry Friedman retirado do jogo pelas reclamações da Blizzard, ainda assim boa parte das origens do jogo dos 16 Bits foi mantida, e isso com certeza é diversão garantida para quem gosta do jogo original.

Minhas considerações finais

Claramente que por se tratar de um jogo que marcou minha infância me agradou a ideia de poder jogar novamente esse clássico em uma versão melhorada, ainda devo dizer que em momento algum a detentora dos direitos autorais do jogo esteve engajada no projeto do grupo yard team, o que me leva a considerar que por se tratar de uma produção feita por fãs, mesmo que o jogo tenha alguns bugs em certos momentos e não possua profundidade em sua historia, ainda assim o trabalho feito é louvável.

Minha nota para esse jogo depois de tudo que foi dito aqui será 7 o que leva o jogo ao titulo de um bom jogo apenas.

sexta-feira, 23 de maio de 2014

Ike Returns

Ike
Isso mesmo galera Ike de Fire Emblem : Radiant Dawn retorna para Super Smash Bros For Wii U & 3DS ainda não to acreditando tinha quase certeza que ele não voltaria XD,bom eu gostei dele ter retornado.










Gostaram do retorno de Ike?Curtiram seu novo modelo?Será que isso diminui a chance de Chrom entrar no Game?Não deixe de postar seu comentário,falou! 

domingo, 11 de maio de 2014

Analise: The Legend of Zelda - Ocarina of Time 3D


Saudações caros leitores! Hoje trago para vocês a analise de um dos melhores jogos de todos os tempos (Se não o melhor), The Legend of Zelda - Ocarina of Time! Mas, especificamente para essa analise, resolvi pegar a versão 3D lançada ao Nintendo 3DS, simplesmente porque foi onde tive a oportunidade de rejogar esse grande clássico do Nintendo 64 (Onde tirando os gráficos, não há muitas diferenças entre as versões). Sem mais delongas, vamos lá!


The Legend of Zelda - Ocarina of Time, originalmente, foi lançado para o Nintendo 64 em 1998. Já sua contra-parte 3D, foi lançada em 2011 para comemorar os 25 anos da franquia. E como, consequentemente, Ocarina of Time foi o jogo mais bem sucedido da série, a Nintendo resolveu remasterizar o game para o Nintendo 3DS, trazendo novidades em relação a jogabilidade do portátil e gráficos melhorados.

A história do jogo, se inicia em um lugar fora dos campos de HyruleKokiri Forest. Lá, onde são habitados os Kokiri, semelhantes à elfos, conhecemos Link, o tão amado protagonista desta imensa franquia, que até então, era o único de sua espécie sem uma fada. A grande Deku Tree, alerta Navi, uma fada, sobre um homem amaldiçoado do deserto, chamado Ganondorf, que pretende conquistar o poder da Triforce, um místico triângulo que representa Força, Coragem e Sabedoria que pode dar a qualquer um o poder de dominar o mundo.

Navi vai de encontro com o Link, para avisá-lo sobre esse terrível futuro que Hyrule aguarda. O protagonista vai além de sua casa, para se encontrar com a Deku Tree, onde precisa derrotar uma criatura que vive dentro de seu caule. O herói então, acompanhado de sua fada e da Fairy Ocarina, presenteada por sua amiga Saria da Forest Kokiri, partem pelos campos de Hyrule em busca da Princesa Zelda para salvar o mundo.

 
O Gameplay, creio que não seja novidade para ninguém. Ocarina of Time é um Action-RPG, ou seja, um jogo de ação/aventura com elementos do gênero. Na versão original de N64, no canto superior direito da tela, tínhamos vários itens que poderiam ser usados a partir dos comandos do controle. Já na de 3DS, os itens ficam na tela de baixo do portátil. No caso, os botões X, Y e B ao serem pressionados, executavam um movimento a partir daquele item. Ao longo do jogo, iremos ganhar vários acessórios que nos ajudaram na trama, como a Master Sword, Ocarina of Time, Iron Boots, Special Tunics (Zora Tunic; que permite que o jogador respire embaixo d'água e Goron Tunic; que permite que o jogador fique em um lugar cheio de lava).

Em relação aos comandos do personagem, são bem simples. Com o analógico movimentamos Link e com o botão A, executamos "movimentos". Por exemplo, perto de uma plataforma alta, se apertarmos A, dependendo do tamanho dela, nosso personagem consegue subir nela. Já no caso de estarmos enfrentando um inimigo, o uso do botão será para atacá-lo com a Master Sword (Ou Kokiri Sword, se ainda estiver criança). Aproveitando o fato de ficarmos adultos após conseguir a Master Sword, vale citar que alguns itens que o Link usava quando criança (Fairy Slingshot e Boomerang, por exemplo), não podem ser usados no estado adulto. Por isso, se o jogador quiser usá-los novamente, terá que deixar a lâmina no altar do Temple of Time.

Inicialmente, a nossa busca gira em torno das Spiritual Stones para entrar no Temple of Time, onde obtemos a Master Sword. Porém, depois disso, temos que ir em busca dos Medallions dos Sages, sábios que ajudaram Link a derrotar Ganondorf. Todos os sábios foram tomados pelas trevas do grande vilão, e cada um está localizados em um dos cinco tempos do jogo: Forest Temple, Fire Temple, Water Temple (Quem se lembra dessa desgraça aqui?), Shadow Temple e Spirit Temple.


O jogo é de mundo aberto, então podemos fazer várias coisas além das missões principais, como pescar e jogar minigames em troca de Rupees, por exemplo. As Rupees funcionam como dinheiro no Reino de Hyrule, então podemos comprar acessórios com elas. O jogo gira em torno de sete regiões em volta de Hyrule: Death Mountain, Zora's Domain, Lon Lon Ranch, Kokiri Village, Kakariko Village, Gerudo Valley e o próprio Hyrule Castle. Como o cenário é relativamente grande, contamos com a ajuda de nossa égua Epona para cavalgar nas respectivas regiões.

Por se tratar de um Action-RPG, Ocarina of Time traz vários Puzzles em suas Dungeons e Temples, envolvendo paredes secretas, blocos que podem ser movidos, objetos que mudam a física do cenário e por ai vai. Alguns, principalmente os dos Templos, podem dar dores de cabeça no jogador. Afinal, são bem complexos. Cada Dungeon e Temple, traz um Boss. Também há a inclusão de Mini-Bosses em cada uma delas, mas creio que nenhum é tão memorável quanto Dark Link e sua épica batalha no Water Temple. Os Bosses do jogo, respectivamente, são: Gohma, King Dodongo, Barinade, Phantom Ganon, Volvagia, Morpha, Bongo Bongo, Twinrova e é claro, Ganondorf.


Ocarina of Time sempre foi um jogo que me agradava (E ainda agrada) bastante. É sem duvidas um dos mais divertidos do N64 e 3DS, e eu poderia rejogá-lo várias e várias vezes. Porém, é impossível não se frustrar com o Water Temple. A grande quantidade de caminhos e coisas que precisamos fazer beira o confuso. E eu confesso que usei guia na época, com a revista Nintendo World que havia publicado uma matéria sobre o Water Temple. Isso soa meio vergonhoso, mas duvido que alguém passou dessa parte sem nenhuma dificuldade.


Graficamente, o jogo é lindo em suas respectivas versões. No Nintendo 64, para um jogo de 1998, era um grande avanço na indústria dos games, já que por sua vez, os cenários eram belíssimos e muito a frente da capacidade do seu tempo. Já no Nintendo 3DS, o jogo mostrou que os portáteis da Nintendo conseguem sim trazer visuais de encher os olhos. Já vi muita gente dizendo que os gráficos da versão original eram muito quadradões e feios, mas deve se lembrar que naquele tempo, os jogos 3Ds ainda estavam começando a surgir. E mesmo para os limites daquela geração, o jogo fazia bonito perto da concorrência.

O jogo traz várias curiosidades interessantes:

  • Inicialmente, o jogo seria lançado para o fracassado aparelho da Nintendo, conhecido como Nintendo 64DD. Porém, como o aparelho não vingou, resolveram portá-lo ao Nintendo 64 mesmo.
  • Mesmo assim, a Nintendo quis fazer uma versão "melhorada" que conhecemos hoje como Ura Zelda 64. Caso queira saber sobre esse jogo, clique aqui e confira essa excelente postagem feita por nosso redator GF
  • Navi foi sempre conhecida por ser estúpida e bem irritante. Sua famosa frase "Hey Listen!" e seus discursos ridículos já estressaram vários jogadores pelo mundo. E ironicamente, na versão 3DS do jogo, a Nintendo fez questão de deixá-la mais irritante, a fim de relembrar os bons tempos. Tô de olho nessa sua zueira, Nintendo.
  • Ocarina of Time sempre foi um jogo bem difícil, isso é inegável. Mas, só mais difícil que ele, é sua versão Master Quest lançada para o GameCube, onde deixa as coisas bem mais complicadas do que o normal. Na versão de 3DS, que inclui a Master Quest, além de ser tão difícil quanto na sua versão original de GameCube, ela espelha todos os cenários do jogo! Sim, isso é sério! Water Temple deve ficar terrivelmente horrível com isso.

A Trilha Sonora do jogo, é sem dúvidas uma das melhores feitas até hoje. Todas orquestradas, e muito bem produzidas. As canções que aprendemos para tocar em nossa Ocarina, os temas de cada cenário e etc são muito boas. Vou deixar algumas de minhas favoritas para vocês apreciarem:












E é claro, que não podemos esquecer da clássica música da Sheik, a alter-ego da Zelda:


E da música da corrida de cavalo:



Enfim, The Legend of Zelda - Ocarina of Time é um excelente game, e não é atoa que é considerado por muito o melhor jogo de todos os tempos. É divertido, desafiante, inovador, incrível e espetacular. Para mim, ao lado de Shadow of the Colossus, são os melhores jogos já criados, e eu espero que tanto a Team Ico, quanto a Nintendo, consigam manter esse fato lendário. Parabéns aos seus 16 anos, Ocarina of Time!

Gostou da postagem? Comente e deixe sua opinião! Mesmo com essa analise do jogo, eu espero mesmo que algum dia, alguém analise pra valer a versão do N64. Essa postagem termina por aqui caros leitores, espero que tenham gostado e até a próxima postagem! =D

sexta-feira, 9 de maio de 2014

The Legend of Zelda Ocarina Of Time 64 Hires Texture

Para quem viveu na década de 80 e 90 vai amar saber que a algum tempo muitos dos jogos do lendário nintendo 64 (o meu console favorito dentre todos de todos os tempos) como eu dizia muitos dos jogos do nintendo 64 tem tido relançamentos feitos por fãs como eu, onde podemos agora contar com novas e belas texturas totalmente refeitas e em HD.

A sensação que tive ao jogar novamente The legend of Zelda Ocarina of Time no meu project64, com essas novas texturas foi a sensação que senti ao colocar minhas mãos na época do lançamento do jogo nos anos 90, totalmente repaginado o jogo é o mesmo, porém muito mais bem trabalhado devido ao avanço das tecnologias e do melhor emulador de 64 que é o project 64, vale a pena matar a saudade desse que na minha humilde opinião é um divisor de águas na industria dos games em todos os tempos, acompanhe abaixo o video tutorial de como utilizar as novas texturas e se gostar faça também o seu Download nos links abaixo.
Nas comparações feitas por mim nas duas fotos abaixo é bastante perceptível a diferença entre a versão original e a com as hires textures aplicadas.




















Que a força esteja com vocês.



Faça o Download do emulador citado no video no link abaixo:




Para Download da rom do jogo você pode baixar no link abaixo:




As novas texturas você pode encontrar no site listado abaixo:

http://www.emutalk.net/forums/110-N64-Textures

Duvidas basta deixar nos comentários.

Conheça Ultra Street Fighter 4 Mugen 3d

Já pensou em ter Ultra street Fighter 4 rodando em uma engine leve e que roda em praticamente todo tipo de pc's?


É isso que Ultra Street Fighter 4 3d mugen edition apresenta, e como sabemos por se tratar do mugen ele ainda poderá ser alterado tendo por exemplo telas novas inclusas por você e também musicas load screens e até mesmo personagens, não é no minimo interessante?
Você pode ver um video que fiz abaixo apresentando a nova proposta desse projeto, você pode tirar suas duvidas e se achar que vale a pena fazer o seu Download no link abaixo do video.

Quem diria afinal que o mugen chegaria a este nivel hein????

Espero que divirtam-se com a nova proposta, que a força esteja com todos.



Faça o download do mugen 3d Ultra Street Fighter 4 no link abaixo:

Que tal turbinar seu blog?

Wow slider, um slide profissional mesmo para quem  não é.E o melhor é gratuito e facil de usar.



Salve a todos do United Gamers, hoje venho trazer para todos os colaboradores do blog e também outras pessoas que possuem blogs aos montes, uma ferramenta bastante fácil e prática e que irá deixar o blog de cada um mais informativo e interessante,imagina poder ter um slide rotativo com diversos efeitos profissionais totalmente gratuito e de facil utilização, mesmo para quem não sabe nada de programação, sim sim você, eu e qualquer blogger poderá ter um slide profissa como os dos melhores sites de games sem gastar nada, quer dizer o que você vai gastar é sua criatividade e um pouco de tempo, mas vale dizer que o wow slider é uma ferramenta que não vai deixar seu blog pesado e impossível de visualizar,afinal as imagens e informações bem como os plugins necessários ficarão hospedados fora do seu blog, sendo assim rodando tudo por fora do blog e sem pesar nada mesmo,chega de falar, ou melhor escrever e vamos então aos videos que postei a um tempinho e que inclusive tenho um post também no meu amado blog pessoal o gfsym, espero que o assunto seja bem aceito pelos demais membros aqui do united e que as informações que tento passar sejam uteis a quem se interessar.Grande abraço e que a força esteja com todos.

 1º video tutorial. 2º video tutorial.

Abaixo o link para download dos programas citados nos dois videos: wow slider:







Você também baixa abaixo o filezila que servirá para hospedar no 000webhost seu layout de seu slide:












Além de baixar os dois programas você também deverá criar uma senha gratuita no 000webhost no endereço abaixo:

http://www.000webhost.com

Tendo dúvidas sobre os dois videos do tutorial deixem nos comentários.

Grande abraço a todos.