terça-feira, 30 de julho de 2013

Melhores Rpgs do SNES

Como um bom fã de RPGs,resolvi fazer um post especial sobre os melhores jogos do gênero no Super Nintendo.

Vamos ao que interessa:

AS ORIGENS


O gênero RPG surgiu em 1980,quando a California Pacific Computer Company lançou o jogo "Akalabeth: World of Doom",que se inspirava nos RPGs de mesa como Dungeons & Dragons.Ele contava com um mundo aberto,visão de cima no Overworld,e uma câmera de primeira pessoa nas Dungeons.Logo logo saiu uma sequência dele,a adaptação de Dungeons & Dragons para os jogos eletrônicos (games),que acabou servindo de inspiração para o grande clássico Ultima,do qual eu nunca joguei por ter envelhecido mal.

E com essas informações já dá pra saber que o game Ultima foi o divisor de águas no gênero RPG,serviu de inspiração para os orientais,que acabaram criando outro clássico : Dragon Quest,lançado para o NES,era um JRPG com um interessante sistema de XP,muita interação com NPCs,e muito mais.
Certamente também serviu de inspiração para outros jogos.

ENTRANDO PARA A ERA 16 BITS...

A era dos 16 bits é considerada por muitos a "Época de Ouro dos Games" pela maioria dos gamers.Não à toa,pois era época em que os desenvolvedores se aproveitavam ao máximo das suas mentes,que eram obrigadas a trabalharem muito,devido à limitação dos consoles.

Pode-se dizer que esta época pertenceu ao PS1,mas isto não elimina o fato de que o SNES teve inúmeros RPGs de alta qualidade,e serviu de pontapé para o console da Sony.                                                            
SÉRIE DRAGON QUEST/DRAGON WARRIOR
 Akira Toriyama,criativo como sempre! Fez a artwork de vários jogos

Como eu já disse,o primeiro Dragon Quest (foi lançado para o NES) foi um divisor de águas para o sub-gênero chamado JRPG (Japanese Role-Playing Game),um marco na indústria de games,é um clássico,que acabou sendo um sucesso - tendo 3 sequências lançadas para o mesmo console.
 
E claro,a Enix não poderia deixar de lançar seus grandes games da série para o SNES,que estava vendendo como água no deserto.
Começaram a jornada lançando remakes do Dragon Quest I ao III,mas o IV não recebeu uma conversão para o console 16 bits,talvez por falta de tempo (se tiverem alguma informação a respeito comentem por favor!).

Agora vou explicar porque a série é tão boa.
Em Dragon Quest,você joga com um personagem padrão,e começa em uma Tower (Torre) ou Village (Vila),vai em busca de quests para batalhar com monstros e adquirir XP,itens e dinheiro (no caso seria Gold),consegue parceiros ou parceiras,e nisso tudo acaba ganhando experiência não só para os personagens,mas para si mesmo.Experiência é algo importante em Dragon Quest,já que é bastante focado em grinding.

No Dragon Quest I,isto ainda não havia sido implementado,já que estavam estudando as capacidades do console (lembrando que a versão de SNES é só um remake),cada personagem tem seus pontos fortes e fracos . DQ II incluiu essa característica,mas ainda era limitada ; em Dragon Quest III,finalmente a Enix mudou esse sistema,que (agora) de acordo com seu tipo de batalha,o personagem vai formando uma classe específica,como "Warrior" e "Priest".Foi incluída também a possibilidade de se escolher a "Party" (Parceiros) desde o começo.

Uma característica muito interessante que eu notei no III,foi a possibilidade de fazer decisões no início do jogo,que não influenciam muito na história,mas provavelmente serviu de inspiração para alguns games (como Mass Effect),e também tem um final bem curioso.

Para não confundir,Dragon Quest I e II para o Snes,foram lançados no ocidente em uma coleção (DQ I+II),o V somente no oriente mas o III (correspondente ao VI no Japão) voltou aos EUA.

Já me desculpando pelo meu pobre resumo aqui,Dragon Quest é uma série que teve sua importância no SNES,no entanto envelheceu mal e seus jogos são muito parecidos.
Eu recomendo jogar apenas o IV e o V,mas hoje em dia já se consegue pegar num celular ou num Nintendo DS,onde tivemos remakes com engine nova e algumas melhorias.

OBS:nenhum DQ foi lançado fora do Japão para o SNES,se ainda for pegar esta versão,recomendo uma Rom traduzida para Inglês ou Português.
  
SÉRIE FINAL FANTASY

 Yoshitaka Amano e sua mania de fazer personagens andrógenos e ilustrações misteriosas e psicodélicas.
Isto funcionou perfeitamente para criar o mundo de Final Fantasy.

Essa série não poderia ficar de fora da lista.
Começando por Final Fantasy IV.
O game foi lançado em 1991 para o SNES.O game é considerado por muitos como um dos 5 melhores games da série FF.
Nessa sequência,a Square introduziu alguns novos sistemas,como o "Active Time Battle",em você dá ordens para os personagens em tempo real.Isto quer dizer que ao invés do inimigo esperar o seu ataque,aqui ele só não te ataca quando você realiza uma ação antes do que ele.


E felizmente,o sistema de recompensas,itens e experiência foi aperfeiçoado,ou seja,não teremos mais aquelas chatíssimas buscas por pontos de XP,itens,ou o que quer que seja.FFIV conta com gráficos simples,mas o que ficou legal foi o efeito do Mode7,gerando falsos 3D impressionantes para a época.A história do jogo pra mim é o ponto mais forte do jogo,com acontecimentos bem legais,como  ...bem,é melhor jogar o game!O único problema é que o jogo agora ficou mais linear,coisa que pode irritar alguns amantes do gênero RPG,mas o bom é que o jogo dura um bom tempo pra ser zerado,então esse fator não fica tão prejudicado.
Final Fantasy IV é um jogão,e mesmo com seus defeitos (pequenos defeitos),deve ser jogado principalmente pelos fãs de games de RPG.
Final Fantasy V foi lançado em 1992,e foi o segundo título da série no SNES.FF5 voltou as antigas,introduzindo e expandindo o sistema de Jobs,que agora são 22. A história do jogo continua excelente,mas achei ela bem diferente dos outros,porque neles,você já começava com um héroi ou coisa do tipo,e nesse você começa com um cara preguiçoso que só pensa nele,com um certo egoísmo,mas ao longo do tempo a personalidade dele vai mudando completamente.O visual do jogo melhorou um pouco,percebi mais detalhes e cores em maior quantidade.A trilha sonora continua excelente,as músicas são marcantes,vão ficar grudadas na sua cabeça quando parar de jogar ou for dormir.E não sei porque mas esse Final Fantasy eu achei mais divertido do que os outros,creio por causa das inúmeras quests.Deem uma chance a esse jogo,vale muito a pena,então pegue seu SNES que está empoeirado,seu smartphone que não aguenta jogos pesados,ou o seu PC com vários emuladores,e jogue esse jogo!!!
Final Fantasy VI foi o último a ser lançado para o SNES,saiu em 1994.A jogabilidade desse FF aperfeiçoou muitas coisas e ainda adicionou mais detalhes.As dungeons foram ampliadas,são mais divertidas de se completar,e tem vários,mas vários itens pelo caminho,e agora elas tem muitos puzzles!Os personagens tem a sua disposição habilidades únicas,exclusivas deles,deixando as batalhas mais estratégicas.Alguns personagens,quando estão com pouco HP,podem desferir um "Desperation Attack",quer dizer,são golpes com 100% de serem críticos.Uma coisa muito legal também que foi introduzida é a capacidade de se conjurar Monstros,que já existia antes mas agora qualquer um que tenha Magia implantada no seu DNA pode conjurá-los.O game dura em torno de 40-50 horas,de acordo com Wikipedia (não confio muito...).

E ATÉ QUE ENFIM SQUARE,agora a parte gráfica desse jogo foi completamente melhorada,desde os sprites até as cores,que estão em um tamanho muito maior,FFVI está no Top dos RPGS no quesito gráfico,parece até outra série,mudou muito mesmo,você olha pra esse FF,e depois olha pros mais antigos,você nem acredita,chama os antigos de medíocres,coitado deles,não tem culpa da época em que foram lançados (ou tem?)... O áudio mudou drásticamente,não em quesito de qualidade mas sim do hardware (apesar de terem melhorado a composição das soundtracks)  algumas músicas e efeitos parecem que estavam rodando em um CD,esse quesito ficou soberbo (e mais uma vez Nobuo Uematsu).FFVI fechou a série com chave de platina no SNES,se você ainda não entrou no mundo dos RPGs,comece jogando por esse (ou outro que ainda vou falar)!
Como abastes de ver agora,a série FF vale a pena pois tem um gameplay sólido,level design muito bom,gráficos bonitos (apesar do IV e V serem simples),história espetacular,e OST inacreditável,então boas horas de gameplay pra quem quiser se aventurar!

CHRONO TRIGGER

Akira Toriyama de novo!

Chrono Trigger é um game muito aclamado pelos críticos e gamers de todo o mundo,lançado em 1995,desenvolvido e publicado pela Squaresoft.O time de desenvolvimento de CT era composto por 3 designers que eram chamados pela Square de "Dream Team": Hironobu Sakaguchi (criador da série Final Fantasy);Yuji Horii (designer e criador de Dragon Quest);e Akira Toriyama um artista de mangá (conhecido pelos seus trabalhos em Dragon Quest e Dragon Ball).

Bom chega de informações e vamos ao que mais interessa.
CT tinha uma jogabilidade incrível,ela pegava os elementos dos Rpgs tradicionais como FF e DQ,e inovava em algumas coisas como batalhas dinâmicas,com todos os personagens se mechendo na batalha,era possível realizar magias combinadas em dupla e em "tripla" também,o combate tem várias combinações.O level design de CT é excelente,com dungeons nem um pouco cansativas,e com inimigos no lugar certo,além do sistema de XP que evoluiu muito,não é mais preciso ficar batalhando toda hora para subir de nível,tudo depende da sua habilidade em combates,e tem mais,o jogo conta com vários puzzles,e muitos podem causar até dor de cabeça,e prepare-se,pois a dificuldade do jogo vai aumentando aos poucos,tanto quanto dos chefes e inimigos,quanto dos puzzles,nunca tente jogar CT junto com outro game (eu estou falando sério,se você ficar muito tempo sem jogar,vai ser bem mais difícil ).
Os gráficos do game foram primorosos para sua época,com uma iluminação muito boa,e um dos melhores sprites,bem detalhados e que não ficavam muito repetitivos,envelheceram muito bem,é praticamente o que tem de melhor no Snes na parte gráfica (em RPGs).
A trilha sonora foi composta pela sua maior parte pelo grande novato (na época) Yasunori Mitsuda,e o resto ficou a cargo do excelente Nobuo Uematsu.
"Só" com essas características,Chrono Trigger já é um jogasso,mas ainda por cima,eles nos oferece uma história emocionante,que poderia até ser adaptada para um filme,ela é surpreendente,praticamente não tem falhas,ela é grandiosa. 
Então se você gosta de Rpgs,não pode deixar de jogar,pois este é um dos melhores RPGs já criados!

domingo, 28 de julho de 2013

Pokemon X e Y: Pokemon's confirmados!


Olá a todos! Bem, vou falar das novidades do novo Pokemon, Pokemon X e Pokemon Y.
Primeiramente vou falar dos iniciais.

Chespin


O Pokemon Inicial, tipo grama, ele possui um carapaça dura que protege as costas e a cabeça. Ele é de uma natureza curiosa, e tenta arranjar problemas, ele não se preocupa com mínimos detalhes.
Pelo esse texto, na parte ''Ele possui uma carapaça dura(...)'' parece que na futuras evoluções ele pode ser um tipo Pedra ou um tipo Aço. Ou seja, Grama/Pedra ; Grama/Aço. E pode ter um vitalidade alta (HP) ou uma defesa alta.

Fennekin


O Pokemon Inicial, tipo Fogo, as orelhas desse Pokemon são muito quentes. Ele adora petiscar galhos, e tenta dar o máximo pelo seu treinador.
Por cer um Pokemon ''bonito'' pode ser um tipo fada e ter uma boa defesa. (Os Pokemons ''bunitos'' (Clefairy, Skitty, Jigglipuff, etc) todos vão ser mudados para tipo Fada, vou falar desse tipo depois)

Froakie


O Pokemon Inicial, tipo Água, ele é leva e forte, permitindo dar altos pulos para atacar. As bolhas do seu peito protegem as costas de ataques. Parece ser distraído, mas, ele esta atendo de tudo ao ser redor.
Como o caso do Chespin (Inicial de Grama) ''As bolhas do seu peito protegem as costas de ataques(...)'' ''Ele é ele e forte(...)'' ele pode ter defesa alta e um ataque alto.

Pokemons Novos:

ScatterBug


Tipo : Inseto

Como dito no nome, ele é um Pokemon tipo Bug (Inseto) bem, todo mundo que ve isso vai ve um inseto, mas tudo bem. Esse inseto tem uma pele que pode controlar a temperatura de seu corpo

Spewpa


Tipo : Inseto

Evolução de ScatterBug, a penúltima fase de evolução. Ele tem uma casca dura.
Bem, ta na cara que ele pode aprender Harden.

Vivillon


Tipo : Inseto Voador

Evolução final de ScatterBug e Spewpa, Vivillon tem as assas mais bonitas do mundo, ele pode aprender ataques tipo Fairy (Fada) mesmo sendo tipo Bug/Voador. Como Butterfree, que é um tipo Bug/Voador, pode aprender ataques Psychic.

Pancham


Tipo : Lutador

Pancham tem uma folha na boca, tenta intimidar o adversario olhando fixamente para eles, mas, raramente da certo.

Pangoro


Tipo : Lutador / Dark

Evolução do Pancham, é um Pokemon mal humorado. Mas tem bom coração e não perdoa de quem se mete com os mais fracos.
Nova lição Pokemaniaca: Se você estiver lutando com um Magikarp, se estiver algum Pangoro ai por perto, fuga da batalha ou terá vários problemas...

Inkay


Tipo : Dark / Psychic

As antenas do Inkay deixa ele sem vontade de lutar com outros Pokemon's. Ele usa isso para fugir ou esconder-se de inimigos mais fortes.

Malamar


Tipo : Dark / Psychic

Evolução de Inkay, tem poderes Hipinóticos para fazer seu adversários curvem a perante a sua vontade.

Inkay e Malamar tem estáticas diferentes,mas a sua abilidade Contrary é a mesma.

Swirlix

Tipo : Fairy

Esse Pokemon só pode ser encontrado no Pokemon X, ele adora doces e não coma mais NADA, e que se torna seu corpo tão doce como de um algodão doce
Uma nova abilidade, Sweet Veil, não deixa nenhum Pokemon da Party dormir.

Spritzee


Tipo : Fairy

Esse Pokemon só pode ser encontrado no Pokemon Y. O corpo liberta fragrância de perfume muito boa.

Honedge


Tipo : Aço / Fantasma

Esse vai ser o meu Pokemon favorito dessa geração!
Um inspirito entro nessa espada que foi usada por humanos e criou vida. Essa não é a espada, mas ainda tem que tirar um objeto dela, ele tirou com o treco azul que eu não sei o nome. E ele fica assim:


Ainda tem mais Pokemon's confirmados, mas não vai dar pra falar de todos deles em 1 post, então até o próximo post! \õ

sexta-feira, 26 de julho de 2013

Curiosidades:O Código Konami (Konami Code)

↑ ↑ ↓ ↓ ← → ← → B A START!  
Fala ae pessoal,hoje eu vou falar de uma das manhas mais conhecidas na historia dos games,o Konami Code.
O começo desse famoso código foi no jogo Gradius pro nintendinho,o criador do jogo fez o jogo tao difícil que ele criou um password pra ele mesmo testar,e esse código,não é nada mais,nada menos que o ↑ ↑ ↓ ↓ ← → ← → B A START!,e  ai quando o jogo foi lançado ele deixou o código,esse código daria todos os power-ups,e 30 vidas(PUTA Q PARIU! ESSE CÓDIGO É FODA!),deixando você fodão de primeira,sendo fácil e simples finalizar o jogo.
 As imagens estão bem aqui:




Depois,teve outros bem conhecidos,como o jogo Contra,no jogo,se fizesse o código teria 30 vidas(HOLY SHIT!),e tem muitos outros jogos da franquia Contra que usavam esse código,como o Operation C pro Game Boy, 2 jogos pro  playstation 2 tinham esse código,o 4 pro Nintendo DS,e o jogo Hard Corps,pro PS3 e XBox360,se o código for feito corretamente,a musica clássica da primeira fase jungle do primeiro jogo do Contra começa a tocar,sinceramente eu jogava Contra a muito tempo,mas não sabia desse código,ou seja,eu finalizava honestamente.
Imagens do jogos da franquia:






PUTZ! ESSE CHEFE É FEIO HEIN!XD



Só vou botar essas imagens,pois isso levaria horas.
A franquia Castlevania entrou nesse estilo de código,esse código esteve nos jogo de MegaDrive e no Dracula X Chronicles pro PSP tinha esse código,e também teve no último jogo da série,o Lords of Shadow,e os jogos das tartarugas ninjas tinha esse códigos,tinha easter eggs e outras surpresas pro jogador que sabia a manha e alguns jogos da série silent hill fazem parte da história desse código,resumindo,todo jogo da konami tem referência a esse código(LOL!)

E é óbvio que eu nao podia deixar de falar de Metal Gear,que tinha esse código,no Metal Gear 2:Sons of Liberty,se executar o código,o Snake te chinga,tipo "Whar you think you can do it?" ou "STOP FOLLIN' KID!"e no Substance tem esse código,e no 3, quando finaliza o jogo,e no jogo The Legend of Mystical ninja pro SNES,tem um homen que fala que se você apertar cima,cima,baixo,baixo,trás-frente,trás-frente,B,A e START,nada acontecerá.

E tem um dos mais esquisitos,e esse é no jogo,Fighting Eleven,Internacional Superstar Socccer Deluxe (QUE PUTA NOME!),se fizer o código o juiz se transforma em um cachorro (MALDITA BRUXA ONILDA!),é muito engraçado transformar o juiz em cachorro.

Só não vou falar muito porque tem uma PÁ de jogos da Konami que tem esse efeito e outros jogos que não são da Konami,como Crash Bandicoot 3: Warped,se fizer o código corretamente (trocando o B e o A por quadrado)é possível você jogar a demo do jogo Spyro the Dragon,e também no jogo pra PC online Abobo's Big Adventure,quando você morre na fase do contra,aparece a tela pedindo que você execute o código,se fizer você ganha 30 vidas,o mesmo que o do jogo contra,e tem alguns sites que tem esse efeito,como o Google Reader,que se fizer direito,ninjas aparecerão no seu lado,e muitos outros sites com essa brincadeirinha.

E também,tem um vídeo sobre esse código do canal AssopraFitas,confira:

Para ver a lista de todos os jogos da Konami e outros que não são Clique no bagulho laranja,se quiser ver os sites que tem o efeito na pagina inicial Clique no outro bagulho laranja,isso foi tudo por hoje,vejo vocês no próximo post pessoal!

sexta-feira, 19 de julho de 2013

Análise: Pepsi Man


Saudações caros leitores! Hoje estou aqui com a análise de um dos jogos mais toscos já criados pela humanidade, porém também um dos mais divertidos do PlayStation 1. Esse jogo é Pepsi Man para PS1, e drogas japonesas é o que não faltam aqui! Já aviso que a postagem contém vídeos fortes de dar água na boca, várias Pepsis pra lá e pra cá, se você é um viciado pelo melhor refrigerante já criado (Coca-Cola o caralho!) como eu, aconselho muito cuidado ao ler esse post. Então sem mais delongas, vamos lá:

História serve pra que mesmo?

Aja alguém que não jogou esse jogo sem saber do que se tratava!
 A história do jogo é... Err... Bem, quando eu joguei esse game pela primeira vez não sabia o que diabos estava acontecendo, jogava várias vezes e mesmo assim eu não fazia ideia do que a história se tratava, até mesmo pesquisando não descobri bem do que essa tosquisse toda se trata... A mais possível resposta é que o nosso herói: Pepsi Man precisa resolver situações um tanto quanto estranhas...

Mas por que iriamos duvidar de um jogo que tem um protagonista drogado como esse? O jogo meio que funciona como o game do Deadpool, se levando mais ao humor... Não o humor negro como Deadpool apresenta, mas o humor de azar do herói mesmo. Apesar disso, o jogo é bem Hardcore, chegando ao nível de Crash Bandicoot 1 (Que tem sua análise no United Gamers, clique aqui para vê-la), um dos jogos mais difíceis já lançados para o PS1. E isso não acaba por aqui não, já que o game tem seus "mini-bosses", em que precisamos escapar de alguma coisa. No jogo, existem quatro estágios, cada um com duas fases (Sendo que a maioria das segundas fases são uma versão mais difícil da primeira). Também não posso deixar de falar das cutscenes, que mostram... um gordo bebendo Pepsi e fazendo propaganda... Fuck the Logic, não é mesmo?

E é claro que não posso esquecer que nosso herói as vezes usa objetos inesperados, como um latão de lixo (Bem bizarro), um skate (Tony Hawk's Pro Skater manda um abraço bem forte!) e até mesmo uma espécie de plataforma voadora futurista na fábrica da Pepsi. Ao finalizar o jogo, o jogador debloqueia o Free Play, que dá ao jogador um grande número de vidas (Mais de 90, se não me engano), a liberdade de escolher as fases para se jogar e uma roupa extra, que Pepsi Man usava no jogo de luta para Sega Saturn: Fighting Vipers. Uma pena o jogo ser bem curto, o que não ajuda no fator Replay, mas mesmo com esse problema, Pepsi Man é um ótimo jogo de PlayStation 1!

Um clássico do PS1 que não deve ser esquecido!


Acredite, eu que criei essa imagem bem tosca (Que ficou até legal) acima!
Pepsi Man foi um ótimo jogo de PS1, tanto que é um dos meus preferidos da biblioteca do videogame (Só eu acho que o Pepsi Man deveria estar no PlayStation All-Stars Battle Royale?). Se você não jogou o game, não perca tempo jovem! Jogue em um Emulador ou em seu PS1 (Isso se você ainda tiver, é claro). O game traz todo o humor e diversão para o jogador, além da própria vontade de se beber Pepsi (Aconselho a ler essa postagem bebendo Pepsi). É por esse e outros motivos que a Pepsi é melhor do que a Coca-Cola, eu sei que a rival tem um gosto melhor... Mas ela não tem um Pepsi Man, não é? (Prometo que tentarei falar menos merda daqui em diante).

Abaixo, confira um vídeo mostrando todo o game em si, além de um vídeo mostrando todos os comerciais do mascote da Pepsi (Da japonesa, mas considero ele o mascote da Pepsi toda em si):



Nota: 9.0

Prós:

O jogo é bem engraçado e divertido, proporcionando várias horas de jogatina ao jogador!

O protagonista é carismático e o jogo realmente dá a vontade de beber uma Pepsi!

O jogo em si é um dos melhores já lançados para o PS1!

Contras:

O jogo é curto e o modo Free Play não ajuda em questão ao fator Replay!

Gostou da postagem? Comente e deixe sua opinião, assim você ajuda nós que apresentamos esse entretenimento para vocês leitores, e é claro: Não se esqueça de dizer se já jogou esse game ou não, dessa forma posso saber que não fui o único lunático desse blog que jogou esse jogo bizarro ao extremo. Essa postagem termina por aqui, até a próxima postagem! =D

quarta-feira, 17 de julho de 2013

Chrono Trigger: Flames Of Eternity


Jogo: Beta
Autor: Metronome Project (?)
Hayo! Sim, eu não morri. Mas, um enorme peso na consciência me comoveu à ponto de ajudar meus conterrâneos GF e Shadow Mario. Para começar com o pé direito...

Chrono Trigger é, sem dúvida, o RPG mais marcante que tivemos a oportunidade de presenciar em nosso humilde e amado blog. Porém, antes de analisarmos qualquer coisa iremos considerar uma revolta que iniciou-se há algum tempo atrás e que motivou a criação de Flames Of Eternity.

Desde seu lançamento em 1996, vários boatos de continuar a consagrada série preencheram a mente de muitos ao redor do globo. Mesmo com pessoas endoidando, fazendo protestos tirando a roupa , se cortando ou cometendo suicido, a empresa produtora do RPG, Square, decidiu não investir em uma continuação do game. O sucesso estendido do Japão, infelizmente, rendeu poucas interações após a original. Mas, o desejo imenso continuou por gerações e tomou por completo a alma de milhares de fãs ao redor do mundo, que rebelavam-se contra humilhações genuínas a franquia (como o tosco anime Chrono Trigger Nuumamoonja).

Buscando ajudar as almas penadas que buscavam alguma luz em “mais um” Chrono Trigger, um grupo de hackers decidiu criar Flames Of Eternity, que inicialmente chamava-se Crisom Choes e que ainda está em produção. Isso evitou que mais pessoas cometessem suicídio e abandonassem sua vida social.
O jogo passa-se cinco anos após a destruição de Lavos. Isso se aplica à todas as eras do game. Contaremos a base do enredo:  Nele, uma tal associação nomeada de Porre (e por coincidência eles são cachaceiros) planeja modificar a História em busca de uma pedra nomeada de Frozen Flame. De alguma forma, eles conseguem viajar pelo tempo e procuram bagunçar tudo com suas desgraças, para que possam ficar rindo histericamente.

Em um certo dia, Crono conversava (sim, ele está falando!) com sua esposa, Marle, e amiga nerd, Lucca ,em uma reunião importantíssima com o rei. Rodeado de guardas, eles percebem que existem dois deles muito estranhos e que confundem-se dizendo “asneiras” que ninguém gostaria de ouvir. Mesmo estranhando os tais guardas insanos, eles decidem ignorá-los, até que, subitamente, eles decidem sair correndo após ouvir a informação que precisavam (jogue a hack para saber) . Como pequenos retardados, Crono, Marle e Lucca decidem correr atrás dos infelizes e, após nocautear um deles, descobrem que eles possuíam um protótipo de “Ovo do Tempo” (Time Egg), usado no game original para ressuscitar almas perdidas.

Após uma explosão totalmente previsível, o grupo é enviado por um portal no tempo,  retomando para suas quase habituais viagens no tempo. Voltando em seus portais ilusionistas, mundos paralelo inexplorados, confusões insanas e ressurreições de aliados e inimigos.  A nostalgia domina nossos corações e o analisamos com um prazer imenso (quase tesão)...

Não querendo revelar muitos detalhes, podemos afirmar que a hack está cheia de surpresas satisfatórias. A começar por Gleen (quem?), que foi amaldiçoado por Magus na versão original tendo a forma de um sapo horroroso e gosmento, mas que, dessa vez, libertou-se da maldição e agora possui a aparência que um espadachin de deve ter. Os fãs da franquia CT devem saber que, para que isso era necessário que Magus morresse. Mas, a hack consegue explicar esse fato.

Além de modificações de gráficos estonteantes (ou quase), você perceberá que a trilha sonora do game foi levemente modificada.. Um dos pontos fortes do game é recriar os elementos de Chrono Trigger, porém com modificações tão sutis que somente fãs perceberão. Isso ocorre em todas “eras” do jogo. O fato dessas mudanças estarem presentes na hack toda é impressionante.

Mas, familiaridade é uma faca de dois gumes. Por um lado, é maravilhosa pois nos sentimos seguros em estar em um ambiente de nostalgia imensa, mas, por outro, pode ser intimidador para aqueles que não o conhecem. Esse, infelizmente, é um problema com Flames Of Eternity . Por isso, talvez, seja necessário ter finalizado Chrono Trigger para se curtir de verdade.

O jogo ainda consegue alternar entre vários personagens, conforme o enredo. Isso amplia o fator 3ª pessoa, para dimensões bem interessante. Inicialmente, isso parecerá linear. O enredo irá tardar para te dar alguma liberdade de expressão e certas escolhas serão pequenas. Porém, é fato que você irá sentir que realmente está jogando uma continuação oficial do game. Mas, vale lembrar que os próprios autores afirmam que “a hack não deve ser comparada à nível do original”. Mesmo assim, chegaram muito próximos – muito, muito, mesmo.

Resumindo: esta é a melhor hack de Chrono Trigger existente. Você AINDA está lendo a review? Deixe de ser idiota e faça como todos clicando em download sem dar a mínima para o que esse texto diz!

Moscas Insignificantes: São 3 moscas facilmente perceptíveis e irritantes:
- No mapa, Glenn ainda é um sapo.
- Alguns bugs podem travar o jogo.
- Não estragaríamos nada se citássemos que, infelizmente, o game pára, por assim dizer, em um momento crucial. Após descobrirmos que uma alma ressuscitou e está trazendo consigo um poder lendário, é necessário voltar à Pré-História. E quando você fica animadinho porque o game está tomando um rumo legal... ele simplesmente acaba. Isso corta nossa alegria e nos deixa deprimidos novamente (e suicidas também).

Sugestão da Casa: Coma!

Destaque: É absolutamente impossível escolher uma única característica. Porém, podemos citar a era de 2305 D.C, por exemplo, que contém um vasto campo inédito a ser explorado. Antes de Flames Of Eternity existir, houve uma pequena hack que incluía uma espécie de coliseu. Na versão de 2011, essa arena de batalhas foi incluída novamente, o quê nos deixa muito felizes. Também podemos citar o ano de 12001 A.C., aonde possuímos a chance de retornar à momentos marcantes do game original, como uma batalha contra a Mammon Machine!

Dificuldade: -----
Como qualquer jogo RPG, a dificuldade alterna muito, conforme seu avanço. Para colocarmos em um exemplo real: O game começa com objetivos simples, como matar você, e até alcançar objetivos que exigem táticas nerds.

Jogabilidade: 9
Chefes, labirintos e “quests”, são dignas de quem realmente entende de CT.
 Porém, só reclamamos de um bug ou outro que possa ocorrer nas lutas – nada sério.

Criatividade: 10
O enredo não possui furos. Algo incrível em um game como Chrono Trigger que exige concentração massiva em vários aspectos. Pensaram em elementos que ainda não identificamos quais são, mas que sabemos estarem presentes. São sutis, dando um toque de nobreza ao game. O enredo é envolvente, cativante e capaz de nos deixar moderadamente felizes, confiantes e determinados. Assim, como é capaz de nos deixar tristes, enfurecidos, divididos e cheios de ódio.

O Mapa: 9
Esse é pior ponto a ser analisado. Ele sofreu poucas alterações e certos detalhes de textura também poderiam ser melhores. Mas, ele é perfeito em gráficos e em ambientar todas as eras com cinco anos de adiantamento.

Gráficos: 9
Ótimos. Muito bem detalhados. A remodelagem dos avatares, chefes e backgrounds de fundo em mapas (principalmente em 11995 a.c), são perfeitos. Porém, ousamos dizer que essa edição poderia ter sido estendida ‘um pouco’, para os personagens e cenários de ambientes fechados.

Nota Final: 9,8
Queridos fãs de Chrono Trigger, espero que usufruam da incitação que lhes proponho, jogando Flames Of Eternity. Os problemas citados acima não passam de reações psicológicas mal organizadas. Eis que à solução de buscas excessivas surge, afastando de nossos sentimentos a escuridão que neles habitam. Por favor, queridos fãs, agradeçam pelo game tanto aguardado e entendam que a vida é muito curta para sofrer esperando um original...