terça-feira, 27 de novembro de 2012

[CREEPYPASTA] Super Mario 64

Yaaaay, volto com uma creepypasta de Super Mario, dessa vez do Nintendo 64!

Só para lembrar, as creepypastas que pego não são de minha autoria, mas vale a pena ver...
Acho que nem dá medo, mas é interessante.

"Eu sempre gostei de Super Mario 64 quando eu era criança. Lembro-me de jogar isso na casa da minha tia o tempo todo. Bem, um dia, um pop-up apareceu do nada, quando estava assistindo a cenas de jogo no Youtube. Fiquei um pouco assustado, e estava prestes a fechar a janela, até que percebi que era um site mostrando uma cópia perfeita em condição, de Super Mario 64 para venda. Havia uma foto e tudo. Eu geralmente não confio nessas coisas, mas o sentimento de nostalgia me dominou, e eu queria comprá-lo.

terça-feira, 20 de novembro de 2012

Chrono Trigger - Um remake/continuação quase impossível

Oi galera,já se passaram alguns dias desde a minha última postagem (acho que 2 semanas),então aqui vamos nós de novo.

Rpg,um genêro aclamado por muitos gamers,foi um dos principais fatores que ajudaram o Ps1 e outros videogames a se popularizar.Ele começou (pra valer) no NES,com Final Fantasy da Squaresoft (antiga Square Enix),um jogo com trama envolvente,jogabilidade diferente e trilha sonora invejável,criada por Nobuo Uematsu.Passaram-se os anos e veio um Rpg mítico,épico e inesquecível chamado Chrono Trigger,criado pela chamada equipe dos sonhos,constituída por Hironobu Sakaguchi (Final Fantasy) , Yoji Horii (Dragon Quest) , Akira Toriyama (Dragon Ball), o produtor Kazuhiko Aoki e Nobuo Ueamatsu (músico de Final Fantasy).Isso é que é equipe viu.O game era espetacular,porque tinha jogabilidade totalmente aperfeiçoada e renovada (porque conta que as batalhas eram totalmente dinâmicas,com as animações dos personagens e os combos usados por eles),tinham até puzzles,e também havia uma exploração imensa (você podia explorar várias épocas como 600 A.C).Além disso ainda havia os melhores gráficos já vistos em um Rpg do Snes (junto com Secret of Mana 2),com a ajuda por exemplo do Mode 7,que reproduzia um 3d fake,sprites muito bem utilizados,e ainda a trilha sonora,que era de dar água na boca (também né,Nobuo Uematsu e Yasunori Mitsuda juntos),com soundtracks como Secret of the Forest e Black Omen.Olha,eu já me esquecendo da história desse jogo,ela é realmente fantástica,eu nunca vi história melhor em um Rpg,sem exageros.
Foi um clássico.Mas e os Rpgs de hoje?Como estão?Não estão um lixo mas...Mass Effect?Foi totalmente estragado.Final Fantasy?Já não é mais o mesmo.E Chrono Trigger?Acabou.Teve suas continuações (Radical Dreamers e Chrono Cross) mas não teve outro Chrono Trigger.Precisamos dele rapidamente porque se não o gênero pode vir a piorar mais ainda,pra ser mais preciso são os Rpgs da Square Enix que estão sendo os mais prejudicados,estão caindo de qualidade,como Final Fantasy. Mas tem que ser um retorno triunfal,se não,é melhor nem lançar.E eu não gostei daquele estilo gráfico de Chrono Ressurection (o game foi cancelado),tem que ser utilizado um estilo Cel-Shading,teria que ser um estilo meio Dragon Ball e meio realista,pra falar verdade,eu não sei qual seria o estilo certo.
Como você pensa em um remake ou continuação de Chrono Trigger?Realmente,é muito difícil.Eles teriam que renovar o game todinho para depois lançarem.Na minha opinião,se o estilo seria bom para todos,eu não sei mas acho que o estilo gráfico se encaixaria muito bem nisso (não a qualidade por que os videogames não rodam) :
Porque preservaria o aspecto sombrio mas não deixando de lado o estilo "desenho".
A jogabilidade?Bem,seria a parte mais fácil (e mesmo assim seria difícil),era só eles melhorarem as animações e implementar vários aspectos nos combos,magias usadas e ataques,mas não poderiam deixar de aperfeiçoar nada.Continuando,deveriam também expandir o mapa,para uma maior liberdade de exploração,colocar várias mini missões e implementar features (como o de tocar no piano essas coisas).

Um aspecto que não deveria falhar em nenhuma parte é a história,essa daí,se fosse prejudicada,ia tirar metade da graça do jogo.Porque?A história de Chrono Trigger é essencial.Não pode haver nenhuma coisa mal feita.Várias traições,reviravoltas,descobertas e ainda os segredos (como a Queda de Guardia que não foi explicada,e também aquelas caixinhas misteriosas que soltavam um som estranho),tudo isso,deveria ter em um novo Chrono Trigger.

A trilha sonora também é crucial para o jogo.Quem não se arrepiou com Secret of The Forest?Quem nunca ficou meio triste com Ruined World (2300 AD),com todas aquelas pessoas com fome,solitárias e com medo?
É empolgante e inesquecível.

É um de RPG desses que precisamos hoje em dia,para mostrar a todos porque o gênero nasceu,e acabar de vez com os MMORPGS,que pra mim,são uma porcaria.Mas a volta dele teria que ser triunfante,se não,poderia acabar com a série por completo,e isso só acabaria de vez com a Square Enix,o que não seria bom nem aqui nem na China.

E aí?Será que vocês concordam comigo?Dêem suas opiniões nos comentários,e até a próxima postagem.

Sonic Adventure 2 - Novo jogo do Sonic (Finalmente)


 Um novo jogo do Sonic foi lançado ontem, o jogo esta por R$ 15, esta barato :D. Como todo o jogo do Sonic, foi programado e editora: Sega.
 Não comprei ainda, mas deve ser bom. A história é simples: Uma batalha entre o bem e o mal. É como se fosse: Mario Party, são ''Jogos'' que você tem quer ganhar do adversário. E também tem modo Aventura. Esses jogos são jogos simples, como, corrida, pegue mais moedas (Anéis) ETC. Bem, como esta escrito sobre o jogo, tem mais 150 Missões, não tenho a minima ideia como são as missões, deve ser: ''Salve e menina aleatória do mal''. E 30 Modos de ''Mini-Jogos''.
O Carro, os gráficos parecem do Play 1


Olha... tem um CARRO NA ARVORE!
 Não tem nada para falar mais sobre o jogo, para comprar, compre pela Steam :)

ByWilliam

sábado, 10 de novembro de 2012

Análise: Crash Bandicoot 4: The Wrath of Cortex!


Galera do United Gamers, sejam bem-vindos a mais uma postagem! Hoje irei fazer uma nova análise, só que de um jogo muito bom, que conquistou muitos gamers (Inclusive eu), esse jogo é Crash Bandicoot 4: The Wrath of Cortex!. Antes de começar o post, gostaria de desculpar a falta de postagens, é que essa semana eu estava com o tempo muito apertado, sem falar da preguiça que não me deixava nem sair da cama. Outra coisa é que esse jogo é a sequência direta do Crash Bandicoot 3: Warped, mesmo não tendo o "4" na capa, ele é a sequência oficial do jogo, então quem achava que a sequência era o Crash Team Racing, ou o Crash ou até mesmo o Crash Bandicoot 5: TwinSanity!, pode tirar seu cavalinho da chuva. Outra coisa muito importânte é que esse jogo foi o primeiro de Aventura da série a não ser produzido pela Naughty Dog, em vez disso, ele foi produzido pela Traveler's Tales, que irá futuramente nessa série de análises produzir vários jogos do Crash Bandicoot. Outra coisa muito importânte é que esse foi o primeiro jogo do Crash Bandicoot a ser lançado para outras plataformas que não seja Sony, ou seja, se você ver esse jogo com o Logo do GameCube (Essa capa acima), fique tranquilo, não é uma Hack e sim um jogo. Outra coisa que eu não posso deixar de falar é que de agora em diante, eu irei dar notas aos jogos no final da postagem. Outra coisa é que esse jogo infelizmente foi muito "criticado" pelos fãns, de fato por não ter melhorado nada de qualidade gráfica em relação ao anterior, como também por ter mantido a mesma jogabilidade dos jogos anteriores, algo que foi considerado repetitivo. Então sem mais delongas, vamos lá:

Uma história não muito diferente das anteriores, mas interessante!


Bom, a história do jogo se começa depois de Crash Bandicoot 3: Warped, onde Uka Uka e Dr. Neo Cortex, juntamente com outros vilões, estão discutindo no Cortex Vortex, no meio do espaço. Uka Uka critica todos os vilões por sua idiotice, principalmente Dr. Neo Cortex, que foi o maior prejuízo para ele, por ter sido derrotando várias vezes pela própria criação. Uka Uka, irritado com o grupo do mal, pede obrigatóriamente uma idéia para derrotar o Masurpial que está impedindo sua dominação do Mundo. Logo a esse pedido, Dr. Nefarious Tropy se lembra da mais nova criação do Dr. Neo Cortex, um Masurpial Musculoso que teria a missão de derrotar Crash Bandicoot e seus amigos. Ao ouvir isso, Dr. Neo Cortex nega essa criação, dizendo que não se lembra de ter criado essa "criatura", mas para seu azar, Dr. Nefasto Gin concorda com a afirmação do Dr. Nefarious Tropy, obrigando ele a revelar sua criação para Uka Uka. Mas mesmo tendo criado. Dr. Neo Cortex afirma que ele não está 100% completo, e que ele precisa de alguns "elementos" para poder chegar aos 100%. Ao ouvir "elementos", Uka Uka sem lembra dos Elementais, que óbviamente controlam o elementos, e sugere a Dr. Neo Cortex colocar os poderes elementais deles em sua nova criação, que seria ninguém menos do que Crunch Bandicoot. Enquanto isso, Crash Bandicoot, Coco Bandicoot, Aku Aku, Polar e Pura estavam relaxando em casa, no meio de uma praia, até que uma grande onda desvastou o local. Aku Aku desconfia desse acontecimento tão "estranho e derrepente", e resolve se teleportar para o Templo Sagrado (Crash Bash), para se comunicar com Uka Uka. Depois de se teleportar, ele logo descobre que os Elementais se uniram com as forças do mal, e rapidamente foge daquele lugar para avisar os Bandicoots. Após descobrirem dessa notícia, Coco Bandicoot se lembra de uma invenção sua de teleportação, e ela e Aku Aku dizem para Crash Bandicoot usar esse portais para salvar o Mundo. Se você notou, a história do jogo é simples, de um modo parecido com os anteriores, mas na minha opinião, consegue superar vários títulos da própria série (Com exceção do Crash TwinSanity).

Um gameplay muito semelhante aos anteriores, mas com fases inovadoras!

 
Bem, não há como negar que as fases do Crash Bandicoot 4: The Wrath of Cortex são as mais bem variadas de toda a série, o jogo tem quase todo tipo de fase, você só precisa usar sua imaginação. O jogo trouxe em si novos tipos de fases, entre elas a mais famosa e carismatica: A Fase do Velho Oeste, essa fase é uma das fases de maior exemplo no jogo, não só por trazer esse estilo de fase, mas como também por trazer um novo visual na série. O jogo também trouxe algo muito diferente nesse jogo, ao invés de derrotarmos vários Chefões, nesse jogo nós só temos um Chefão, sendo ele o Crunch Bandicoot. Porém, mesmo só tendo um Chefão, outros Chefões também possuem destaque nesse jogo, aparecendo como obstáculos ou inimigos nesse jogo, sendo eles Dr. Nefarious Tropy, Dr. Nefasto Gin, Tiny Tiger, Dingodille e Dr. Neo Cortex (Batalha Final). O jogo também trouxe para a série várias outras fases além da citada acima, sendo algumas deles de Aviões, de Robôs (Aqueles que você controla na maior parte do jogo), de Gelo (Ou Neve, como quiserem) e outras variedades de fases. Muitas pessoas criticaram a falta de criatividade da Traveler's Tales, mas para mim, a criatividade foi a maior coisa nesse jogo, só os cenários diferentes e variados já fazem com que esse jogo seja criativo.

O começo de uma nova Era para o Crash Bandicoot!


Bem, uma coisa que poucos sabem, é que esse foi o primeiro jogo do Crash Bandicoot a ser lançado na 6º Geração, sendo incluido nos consoles PlayStation 2, Nintendo GameCube e Xbox (Original). Esse jogo também foi o primeiro a aparecer em outros consoles que não sejam da Sony, uma coisa nova e bem estranha naquela época. O jogo em si é uma espécie de "Abertura" da série Crash Bandicoot para a 6º Geração, tanto que podemos ver que seus sucessores possuem vários elementos desse jogo, incluindo personagens, fases, músicas e outros recursos. Esse jogo é meio que considerado o "Crash Bandicoot 1 do PS1", já que seus gráficos são meio ruins para aquela época, mas o melhor sentido para isso mesmo é que ele é o primeiro jogo da série no PS2, daí o trocadilho. Por algum motivo não cláro, a versão do Xbox é superior à versão do PS2 e do GameCube, e por incrível que pareça, possúi gráficos melhores e jogabilidade melhor. Crash Bandicoot 4: The Wrath of Cortex é um dos melhores que eu já joguei na minha vida, se você ainda não o jogou, não perca tempo, corra para a locadora mais próxima de sua cidade e compre esse jogo, se ela não tiver esse jogo, ligue para qualquer locadora de sua Capital, tenho certeza que esse jogo irá lhe dar várias horas de diversão.

Notas:

Gráficos: 6,5

Música: 7,0

Jogabilidade: 9,5

História: 8,0

Inovação: 9,0

Nota Final: 8,5

 Gostou da análise caro leitor? Se sim, fique atento para a próxima análise, que virá próxima semana, tenho certeza que ela será tão épica quanto essa. Essa postagem fica por aqui pessoal, até a próxima postagem =D



 

Games Supervalorizados-Diablo 3

 E aí galera,estou eu aqui,pra quem pensava que eu num tava nem aí blog,então vamos interagir com mais uma postagem.

Diablo 3,um game jogado por todos e por todas,é muito bem recebido pela crítica e pelos gamers de todo o mundo.Mas não são realmente todos que gostaram dele.Eu fui um que não gostou.

Quando o primeiro Diablo foi lançado,muitos pensaram:Esse é um dos melhores e mais sombrios Rpgs que eu já joguei na minha vida!
Lançado o 2,muitas pessoas falavam essa mesma coisa só que com mais complemento:
Esse foi um dos melhores,mais complexos,mais viciantes,e mais  sombrios Rpgs que eu já joguei na minha vida!
E quando Diablo 3 foi lançado?Eles falaram:até que enfim Diablo retornou!Mas não achas isso muito estranho?Quer dizer,só falaram que o game retornou,e mais nada.Não falaram que ele retornou com inovações,evoluções ou nada disso.Mas porque eles  não disseram isso?Bem,porque o game não tem aspecto de inovador e nem de "evolucionador".

A sua expectativa era enorme mas não chegou nem perto dela - talvez a culpa seja dos hype criado pelos gamers mas não acho que foi só isso.
O game é simplesmente simples demais.
Só há 5 classes para se jogar,muitas coisas foram retiradas como o aspecto sombrio que havia no 1 e do 2,a jogabilidade ficou muito repetitiva,a história ficou horrível,o fator replay do game ficou fraco demais,o game é curto,ou seja,o jogo não tem nenhum atrativo.É simplesmente simples e seco.

Mas porque os críticos e muitos gamers aceitam esse game de braços abertos?Porque Diablo tem nome.Porque a nota dele ficou 88 no Metacritic?Eu sinceramente daria um 7 ou 6 para o jogo,porque os jogos que eu amo eu não perdoo,porque quero sempre que atinja o máximo possível da sua capacidade,e Diablo 3 não atingiu.

Estavam pensando que eu ia esquecer aquilo não é?Podem deixar,eu não vou esquecer daquilo.
É isso mesmo,Sr. Diablo 3,a maneira como você trata os jogadores,porque o game só pode ser jogado quando se está ligado na rede.Queriam acabar com a pirataria?Fodam-se,vocês não precisavam fazer isso,e lembrem-se que a pirataria sempre vai existir,não há como evitá-la por completo.Isso prejudicou muito o jogo,porque e quem não tem Internet?Eu sei que isso é meio raro mas não muda o fato de que eles deveriam colocar a opção de se jogar offline.Eu por exemplo gostaria de comprar Diablo 3,mas como não tenho internet a todo momento,desisti de jogar.A,além disso,o jogo ficou muito colorido,e parem de falar para eu reduzir a cor no jogo pois é o jogo que deve definir isso automaticamente e não eu.Os servidores também estavam muito ruins,e não vou levar em consideração os servidores depois que o jogo foi lançado porque a gente analisa as coisas quando o jogo lança,e não quando já foi lançado e surgiram várias atualizações para corrigir os problemas.Apesar disso,Diablo ainda é um jogo bom,mas cheio de defeitos e totalmente supervalorizado.Os pontos positivos do jogo?Bem,vamos dizer,só os retoquezinhos.Os pontos
negativos?Tudo isso que eu falei e mais ainda,porque eu ainda sinto que há alguma coisa faltando para falar.Nota do jogo?Na minha humilde e modesta opinião,6.

Gostaram da postagem?Então comentem aí e se puderem divulguem esse blog que precisa se socializar com todos os gamers!

quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Drama Mistery 2: Alegria Paradoxal

Galerinha, aqui estou eu para finalmente mostrar para vocês uma hack que muitos brasileiros devem conhecer, mas tem um porém nisso tudo... ela teve uma sequência, sim, estou falando do Drama Mistery 2!



Vamos continuar de onde o Drama Mistery parou, quando o Luigi e o Kood foram sugados por um portal na Montanha Sapiens, logo Kooper busca mais informações com Merlin, e a aventura começa!

Aqui acabam os Spoilers, seria melhor se vocês começassem a jogar a hack e descobri o resto por vocês mesmos, então, divirtam-se!


Nota: A Hack funciona melhor com os Emuladores Snes9x 1.43 e Zsnes 1.51.

sábado, 3 de novembro de 2012

Análise: Crash Bash


Galera do United Gamers, sejam-vindos a mais uma postagem! Hoje irei fazer mais uma análise, só que dessa vez de um jogo super divertido, que trouxe bastante inspiração para outros jogos, esse jogo é Crash Bash. Antes de começar a análise, gostaria de avisar que eu nunca joguei esse jogo, esse foi o único jogo da série Crash Bandicoot do PS1 que eu não joguei, mas ainda com isso, eu tenho bastante informação desse jogo. Outra coisa que vocês devem saber é que esse foi o primeiro jogo da série Crash Bandicoot a não ser produzido pela Naughty Dog, em vez disso, esse jogo foi produzido pela Eurocom. Outra coisa é que eu quero desculpar a todos pelo fato do blog ficar sem postagens nessa semana, mas eu prometo que essa próxima semana terá muitas postagens (Isso se a minha internet e o meu computador deixar). Outra coisa também é que existe uma sequência para esse jogo chamada Crash Boom Bang! para Nintendo DS, mas o jogo é horrível, mas mesmo eu irei fazer uma análise dele mais para frente. Outra coisa muito importante que quero dizer é que depois das análises de todos os jogos do Crash Bandicoot, eu irei começar a fazer análises de todos os jogos da série TimeSplitters. Então sem mais delongas, vamos lá:

Uma história completamente bizarra, mas interessante!


Bom, a história do jogo se começa em uma parte do hiperespaço, em um "Mini-Templo" digamos, onde as mascaras Aku Aku e Uka Uka estão discutindo para ver quem é o melhor. Em uma idéia brilhante na mente das mascaras, eles resolvem fazer um torneio entre o mal e o bom para ver quem realmente é o melhor, chamando seus parceiros mais confiaveis em parte da história. Aku Aku envoca para seu time Crash Bandicoot e Coco Bandicoot, enquanto Uka Uka envoca para seu time Dr. Neo Cortex, Nitrus Brio, Tiny Tiger, Dingodille, Koala Kong e seu mais novo parceiro Rilla Roo. Aku Aku, não sendo ingênuo (Ou burro, para os mais sem conhecimento), nota que Uka Uka está com muito mais parceiros do que ele, então pede para ele dar 2 parceiros de sua equipe. Uka Uka favorece para Aku Aku 2 parceiros seus, sendo eles Tiny Tiger e Dingodille. Depois dessa escolha de parceiros, Aku Aku e Uka Uka formam os minigames para o torneio, como também escolhem 4 chefões para cada mundo, sendo eles Papu Papu, The Bearminator, The Komodo BrothersNitros Oxide (Na verdade, eles só batalharam com Nitros Oxide porque eles atrapalharam a viagem do alienigena para Gasmoxia). A história do jogo é bastante interessante, mesmo sendo completamente bizarra por não ter qualquer sentido na história da série (Na verdade tem, onde Nitrus Oxide está voltando para seu planeta para alertar Velo, mas isso não é oficial), ela consegue agradar muitos jogadores, por ser simples e divertida.

Semelhança com Mario Party? Não me diga!? Porém, ainda é um bom gameplay!


Uma das maiores criticas do jogo provavelmente é a sua semelhança com Mario Party, que é gigantesca! Porém, algo existe que separa os dois jogos: Crash Bash é um jogo apenas de minigames, não possúi fases de tabuleiros ou blocos para se bater e caminhar, não caro leitor, Crash Bash é um jogo que só tem minigames, só isso, mas nada que estrague o jogo, é cláro. Crash Bash possúi vários estilos de minigames, sendo eles os de Pinball Champioship (Onde o jogador deve acertar o gol dos adversários com bolas), os de Crate Attack (Onde o jogador deve atirar caixas nos seus adversários), os de Polar Fight (Onde o jogador deve derrubar os adversários encima do Urso Polar), os de Tank Battle (Onde o jogador deve explodir o Tank de seus adversários), os de Pogo-Pogo's King (Onde o jogador deve andar em um Pula Pula e deve ganhar mais pontos que seu adversário), os de Racing Time (Onde o jogador deve ganhar a corrida antes de seu adversários) e os de Boss Challenge (Onde óbviamente o jogador deve derrotar os chefões). No decorrer do game, os minigames serão sempre os mesmos, porém eles terão vários tipos de fases, onde terão vários obstáculos e mudanças climaticas entre as fases. O gameplay do jogo é muito bom, é bastante divertido para se jogar com a fámilia, acreditem em mim, já várias pessoas jogando esse jogo com suas fámilias, e se divertem muito juntos (Será que eu consigo descolar um PS1 e esse jogo para jogar com a minha mãe? XD).

Uma despedida sensacional para os fãns do Masurpial do PS1!  


 Não há como negar que Crash Bash fez uma despedida sensacional para os fãns do Masurpial do PS1, a Eurocom fez um jogo íncrivel de Party, só por misturar os personagens do primeiro jogo da série com os mais novos já fez com que fosse um jogo sensacional, muito divertido para se jogar com a fámilia. A única coisa que matou o jogo foi os seus gráficos, que por íncrivel que pareça, conseguiu ser pior do que o dos jogos anteriores. Outra coisa também que na verdade nem foi tão ruim assim, foi a pouca quantidade de personagens no jogo, que foram só 8 no total (9, se Fake Crash que aparece apenas na versão japonesa do jogo conta). Antigamente, a Eurocom pretendia ter trazido muito mais para o jogo, como mais personagens, por exemplo, Dr. Nefasto Gin, Dr. Nefarious Tropy e Ripper Roo estariam presentes no jogo, mas no final resolveram trocá-los pelo Dr. Nitrus Brio, Koala Kong e Rilla Roo. Outra coisa que a Eurocom queria adicionar no jogo era a possibildade de escolher os seus desafiantes nos minigames, porém destiram dessa possibilidade para equilibrar mais o jogo. O jogo, por íncrivel que pareça, recebeu notas muito baixas dos analistas, recebendo nota 7.5 e até 6.0, na minha humilde opinião, esse jogo deveria é ganhar um 8.5, ele é muito divertido, dá para passar várias semanas com esse jogo, os gráficos são o que menos importa nesse jogo, o que vale mais nele é a diversão. Se você nunca jogou esse jogo, não perca tempo, procure um emulador e baixe uma ROM desse jogo, tenho certeza que esse irá lhe dar várias noites de pura diversão (Enquanto vocês estarão jogando, eu estarei procurando ainda um emulador de PS1 XD).

Gostou da análise caro leitor? Se sim, fique atento para a próxima análise, que virá nessa semana, tenho certeza que ela será tão épica quanto essa. Essa postagem fica por aqui pessoal, até a próxima postagem =D