quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Jogo 8-Bits! - MCPixel


 O jogo mais sem sentido, o jogo Indie 8-Bits, MCPixel! É um jogo que somente se jogo com mouse, foi criado pelo SOS e colocado na Steam para comprar! Esta por $4.99 USD (R$ 10).
 O objetivo é salvar o dia, desativando a bomba! Mas não é do jeito normal, e sim com loucuras! A primeira fase você tem que dar o Cachorro-Quente que a linguiça é um bomba, e dar para um ET que esta fumando. WTF?
This is... HAMMER TIME!

 O Jogo também traz alguns jogos ''grudados'' nele. Tem a fase do Pokemon, o jogo contém musicas num estilo que combina com o jogo, o jogo contém somente 6 musicas, então a maioria é quase a mesma coisa.
Em qualquer jogo passa algo não visto direito, e você pergunta ''Como assim?'' Assim:


 Ele é parecido com o personagem do Futurama, é quase igual, é só falta ver as causas!
 Não tenho mais nada a falar sobre esse jogo, então boa jogatina! (Compre pela Steam)
Musica Grátis do jogo:

Feliz Hallowen 
ByWilliam


terça-feira, 30 de outubro de 2012

Top 3: Easter Eggs muito... estranhas?

 Olá pessoas do United Gamers, bem, como todos devem saber, todos os jogos contém Easter Eggs, e outro tipo, bem esses são de ASSUSTAR. São muitos assustadores, brincadeira, só 1 é :P
 Agora vamos lá.

Tudo no começo????

Jogo: Portal 2

Sim, o jogo Portal 2, estou fugindo um pouco dos jogos antigos (clássicos) foi criado pela Valve. É contém algo bizarro, um ''final alternativo'' oque seria o final do jogo. (Eu acho) Nas primeira fases (tutoriral) na  Test Chamber 6. A uma sala secreta, la tem um radio, e aparece uma imagem:
Companion Cube na lua! Depois vai ser oque? Marte?

~Le peixe fora d´ aguá ~

Jogo: Super Mario 64

O famoso jogo Super Mario 64, nada pode copiar ele! A um Easter Egg + ou - um peixe voando! (Não achei muito legal) (Não pude pegar outro, não consigo encontrar outra imagem para outro Easter Egg)


Terror na Galaxia

Jogo: Super Mario Galaxy 2

 Isso é muito assustador! Uma imagem que pode ser vista em... eu não sei explicar isso, então leia (Inglês):


In Super Mario Galaxy 2, three alien like figures appear in the background of Shiverburn Galaxy watching Mario/Luigi (It also appears in the Pull Star planet of Grandmaster Galaxy). In the Flash Black Galaxy, the silhouette of a windmill can be seen at the very back of the Maze Planet, possible to note that the Clockwork Ruins Galaxy is nearby.

Fonte: Mario Wiki
By William

sábado, 27 de outubro de 2012

Análise: Crash Team Racing


Galera do United Gamers, sejam bem-vindos a mais uma postagem! Hoje irei fazer mais uma análise, só que de um jogo clássico, que marcou muito a minha infância e de outras pessoas, esse jogo é Crash Team Racing. Antes de começar, quero dizer que esse jogo não é só uma simples "cópia" de Mario Kart, o jogo é muito mais do que isso, ele é tão bom que consegue superar até alguns títulos da série Mario Kart, acredite se quiser. Outra coisa também é que esse é o último jogo do Crash Bandicoot produzido pela Naughty Dog, esse jogo em si é uma espécie de despedida para a melhor Era do Crash Bandicoot. Outro fato é que esse foi o melhor jogo do Crash Bandicoot de corrida já feito, Crash Nitro Kart é bom, porém não mudou nada em relação ao anterior, Crash Tag Team Racing também é bom, porém fez muitas modificações no estilo de corrida da série, por isso eu o considero o pior jogo de corrida do Crash Bandicoot já feito, alguns podem negar, mas lembrando que essa é a minha opinião, se sua for diferente, eu irei respeitar com todo o prazer. Então sem mais delongas vamos lá:

Uma nova aventura de um jeito diferente!


Bom, a história do jogo se começa fora do Planeta Terra, onde Nitros Oxide, um alienigena campeão de corrida das galaxias, está observando a Terra com seu monitor, avistanto uma placa dizendo "Campeonato de Corrida!". Nitrous Oxide, aproveitando essa corrida, decide fazer um duelo com os melhores corredores da Terra, onde se ele perder, ele nunca mais irá voltar para esse Planeta, mas se ele ganhar, ele transformara o Planeta em um estacionamento, tornando todos os humanos da Terra em escravos. Nitrous Oxide recruta um grupo de corredores para protegerem a passagem até ele, onde cada um está levando uma chave, para a proteção do alienigena campeão. Esses corredores são Ripper Roo, Papu Papu, Komodo Joe e Pinstripe Potorro, que estavam procurando o dominio do mundo junto com Nitros Oxide, como também vingança com a turma do Crash Bandicoot e com a turma do Dr. Neo Cortex. Bem, se você notou, a história do jogo é simples, mas bem interessante, afinal, quem diria que a os heróis e vilões principais da série Crash Bandicoot iriam enfrentar uma invasão alienigena? Ou melhor, apostando corrida com o grupo de invasores? Uma idéia criativa, como também ótima para o primeiro jogo de uma série enorme de jogos de corrida.

Semelhança com Mario Kart? Não me diga? Porém, ainda é um bom gameplay!


 Uma das maiores criticas do jogo, provavelmente é a semelhança com a série Mario Kart, principalmente o título Mario Kart 64, que possúi elementos completamente iguais ao jogo, porém, o gameplay do jogo ainda é muito bom, superando até de alguns jogos da série Mario Kart, como eu disse no começo da análise. Apesar da semelhança, o jogo possúi algo diferencia muito a jogabilidade dos 2 jogos, sabe qual a diferença? O Drift, esse recurso não existe no Mario Kart 64, enquanto em Crash Team Racing, nós temos esse belo recurso, que nos dá o poder de derrapagem e de um pequeno turbo, mas isso não é um item caro leitor, isso é um recurso já disponivel no próprio Kart. Falando em Kart, cada personagem possúi um Kart personalizado, onde cada um tem sua própria cor, por exemplo, o Kart de Crash Bandicoot é azul, o de Coco Bandicoot é rosa, o de Dr. Neo Cortex é vermelho, e ai se vai uma lista gigante de Karts de cada personagem presente no jogo. Falando em personagem, o jogo possúi 15 personagem, sendo eles Crash Bandicoot, Coco Bandicoot, Dr. Neo Cortex, Polar, Tiny Tiger, Pura, Dr. Nefasto Gin, Ripper Roo, Papu Papu, Komodo Joe, Pinstripe, Fake Crash, Dr. Nefarious Tropy e Penta Penguim. Nitros Oxide não é jogável no jogo, apesar de alguns acreditarem, Nitros Oxide nunca se foi planejado para ser um corredor, afinal, ele seria muito apelão por ter todas as estatisticas execelentes. Mas isso é estranho, afinal, Velo é jogável em Crash Nitro Kart, mesmo sendo o vilão do jogo, ele é jogável, e tem todas as estatisticas execelentes. Da mesma forma que aconteceu com Velo, eles podiam ter colocado Nitros Oxide como um personagem jogável, podiam até tirar o seu HoverCraft, colocando o em um simples Kart, não seria uma má idéia. Crash Team Racing tem uma jogabilidade ótima, considerado por muitas a melhor da série, e eu também concordo nesse aspecto.

Uma despedida ótima da Naughty Dog para os fãns do Masurpial!


Como muitos sabem, Crash Team Racing foi o último jogo do Crash Bandicoot feito pela Naughty Dog, sendo assim, uma despedia. Mas não uma simples despedida, e sim uma ótima despedida, a produtora fez de tudo para agradar os fãns, e conseguiu fazer isso com todo o sucesso. Nessa hora, a Naughty Dog foi muito inteligente, misturou todos os personagens clássicos da série em um jogo só, menos Dr. Nitrus Brio, Baby-T, Twana Bandicoot e Koala Kong, que ficaram de fora por causa do sistema do PlayStation 1, que não suportava muitos arquivos em um jogo só. A Naughty Dog também foi muito esperta por criar Nitrus Oxide, o personagem foi muito importante para a industria dos games, ele foi muita influencia para outros jogos, tanto que serviu de muita inspiração para outros jogos. A produtora também teve muita coragem para enfrentar a série Mario Kart, que naquela época, dominava os jogos de Kart, no final das contas, o jogo se saiu bem, vendeu muito na plataforma do PlayStation 1, sendo um dos jogos mais vendidos do console. A produtora também fez um ótimo trabalho, acho que nenhuma produtora fez uma despedida tão boa quanto a Naughty Dog. A Naughty Dog, mesmo com séries como Uncharted e Jak & Dexter, sua fama mesmo sempre foi com o Masurpial, apesar com esses enormes títulos de qualidade feitos por si mesmo. Crash Team Racing para mim é o melhor jogo do Crash Bandicoot já feito, não só na categoria corrida, mas na série toda em si. Se você não jogou, não perca tempo, baixe um emulador e procure uma ROM desse jogo, você nem sabe o que está perdendo, acredite em mim, você se divertirá com esse por várias horas.

Gostaram da análise caro leitor? Se sim, fique atento para a próxima análise aqui no United Gamers, que provavelmente será tão épica quanto essa. Essa postagem fica por aqui pessoal, até a próxima postagem =D      

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Músicas Boas nos Games-Fazem diferença?

E aí galera,tudo bem com vocês?
Eu chego aqui no blog,para discutir muitas coisas mas tinha me esquecido de discutir sobre um assunto:Músicas boas nos games fazem diferença?
Será?Então se ligue em mais uma postagem.

Era 8 Bits:
                                                  A Epóca dos games de plataforma
Os games da era 8 bits não tinham muita qualidade para produzir efeitos sonoros(se for comparar com hoje em dia).Os produtores,analizavam tudo o que o videogame poderia fazer,e acabavam fazendo músicas estraordinárias como essa,do aclamado Super Mario Bros:
HAHA!Pensaram que eu ia colocar o tema de Super Mario Bros não pensaram?Eu não coloquei porque ela é muito conhecida.Não sei se vocês perceberam,mas essa música se parece muito com uma que já escutamos várias em um jogo "desconhecido"em que tinhamos uma espada e um escudo,e que também tentavamos pegar poderes com alguma entidade.Se você não entendeu o que eu quis dizer com isso,então eu lhe falo:Se parece COM A MÚSICA DA GREAT FAIRY'S FOUNTAIN DE LEGEND OF ZELDA! Isso fazia parte de muitos games antigos,porque para não ter de trabalhar na trilha sonora de um game feita do zero,eles reaproveitavam as músicas,e não havia nada de ruim nisso pois eles modificavam uma música boa,e as vezes,ficava melhor ainda.

Há um game inesquecível,aonde controlavamos um garoto robô,com um laser implantado em sua mão,tinha uma dificuldade elevada,faziam os outros chorar de tão difícil.Queiro-lhes apresentar,o game:
MEGAMAN!!Bons tempos...em que a gente chamava até os outros para te ajudar a passar das partes desse game extraordinário.


E esse?:
Final Fantasy,bons tempos aqueles em que você realmente se envolvia com a história de um game,os games tinham uma imersão imensa. Bem,essa foi era 8 bits,constituída pelos (os principais)  videogames Nes e Master System,trouxeram uma grande diversão para todos.

Era 16 bits:
Época de Ouro

Games fantásticos,aparelhos que os sustentavam:Snes e Mega Drive.Foram também os aparelhos que proporcionaram as melhores trilhas sonoras já vistas.Chrono Trigger,Donkey Kong Country,Final Fantasy III,Gun Hazard,Secret of Mana,Street Fighter,Sonic,Streets of Rage,Gunstar Heroes,Mortal Kombat,Super Mario World,Yoshi's Island,Star Fox,Super Bomberman 4...etc,etc,etc,etc... Foram muitos games que se destacaram com suas trilhas sonoras,e um deles foi: Obra prima! A qualidade do Nes pro Snes mudou completamente,o Snes tinha uma potência para produzir uma qualidade de áudio abismal,estrondosa,era quase um som em HD,muito bom mesmo.

Mas não foi só de Final Fantasy que viveu o Snes,teve também teve bonecos que tiravam a bomba de algum lugar (que eu não posso falar aqui): BOMBERMAN!!Clássico,Mítico!!Uma mistura de música do Egito,com tons elétricos,muito bem feita.

Macacos que pulavam em barris,que também pulavam em cima de jacarés?Como assim?Veja aí:
Agora você me entende?Se não me entendeu,eu digo:estou falando de Donkey Kong Country mano!! Peraí!Eu só estou falando do Snes!!Para de ser fanboy GF,aprenda com o Shadow Mario e os outros colaboladores do blog!!

Então lá vem o ouriço que corria mais que um avião: Sonic!Véi,nostalgia pura,excelente.Um ouriço que corria muito mas muito mesmo,deixava uma música animada,para não ficarmos com a frustação de morrer toda hora no jogo.

E o que dizer sobre esse "joguinho de pancadaria"? Uma excelente música eletrônica,eu até arrepiei quando joguei pela primeira vez.Streets of Rage,o concorrente de Final Fight,tava "uma briga boa" na época.

Adeus a Era de Ouro dos games...Até mais...

Era 32/64 bits:

A revolução

"Tudo" era em 3d,os produtores se focaram nisso,e não foi uma má idéia,as vezes até surgia um game em 2.5d,como R-Type Delta e Street Fighter EX.Época também de games como Zelda Ocarina of Time,Super Mario 64,Metal Gear Solid,Tekken 3,etc.
Mas vamos direto ao ponto:a trilha sonora deles.Se com o Snes eles já conseguiram extrair uma qualidade muito boa de áudio,aqui eles melhoraram mais ainda,colocando diálogo com vozes nos games,músicas de "verdade"(com vozes,guitarras e tudo),efeitos sonoros atualizados,melhorou em tudo.

Um game de robô,que era dos mesmos caras que criaram um jogo de carros super-realistas.Quem será?:
Sim,é ele mesmo,Omega Boost,da Polyphony Digital,dos mesmos criadores de Gran Turismo.Destaques para as vozes e os efeitos sonoros nessa música,e também destaque para a bateria e a guitarra,que foram muito bem utilizadas.

Um cara com nome de cobra,se infiltrava em qualquer lugar (não pense em besteira),e dava o máximo de si para completar uma coisa muito importante:suas missões.Se não se lembra,relembre agora: É ele mesmo,Solid Snake,um dos melhores hérois de todos os tempos,com uma trilha sonora de cair o queixo.Essa soundtrack parecia mesmo que você foi encontrado por alguém,não sei porque mas parece.

Um encanador que pula em cima de tartarugas e outros animais,e também,logicamente,pula nos (NÃO PENSE EM BESTEIRA) canos,a fim de completar sua tarefa:reunir as estrelas e salvar a princesa. Então ouça:
Here we go!Mario,o encanador.Essa música por acaso não te lembra água?É porque a fase em que essa música é tocada,é na água.

E o que dizer desse game épico,no seu antecessor,eramos capazes de carregar um escudo e uma espada,e outros equipamentos,e que agora continuaram sendo incluídos nesse game?: De novo ele,Zelda (o jogo) está aqui.Eu não disse que a música do terceiro mundo de Super Mario Bros 3 era parecido demais com a música da Great Fairy Fountain? Bem,esse foi um breve resumo da era 32/64 bits.

Era 128 bits
A evolução 

Os gráficos melhoraram,os games e os análogicos foram muito bem utilizados aqui,com o Ps2,Gamecube e Xbox sendo os principais consoles.Entretanto,as trilhas sonoras dos games começaram a dar uma decaída.Mas mesmo assim continuaram boas. Por exemplo,veja essa obra prima,de um game aonde controlavamos um cara que tinha que ressucitar uma tal garota,e com a ajuda de um cavalo e uma espada,assassinar "Grandes Montanhas": ÉPICO ÉPICO ÉPICO E ÉPICO!!Shadow of the Colossus tá na área,e a trilha sonora também,e essa soundtrack foi muito bem orquestrada.Que excelente trabalho que a Team Ico fez,não tem como não aplaudir.

Agora parem e escutem só: Mario Kart Double Dash!A série Mario Kart proporcionou muitas tardes bem perdidas,junto com seus amigos,e além disso,quando você ia perder,podia ficar tranquilo pois a trilha sonora te acalmava (pelo menos comigo).

E agora estamos num jogo onde você controlava vários jogadores,e um deles era um "robô" só que no final do game que esse personagem pertence,a gente descobre que na verdade esse "robô" é uma mulher,e das boas(hehe): SUPER-SMASH-BROTHEEEEEEEEERS!Continha Samus Aran,a gata dos games.Essa remixagem do game Super Smash Bros. Melee da música Brinstar de Metroid,ficou excelente!

De novo ele,o infiltrador...: Snake!!Não posso contar muita coisa,se não vou dar Spoiler,então,tudo que eu posso dizer é que essa música é fantástica,e melhor,ela toca enquanto você vai jogando e...(não posso falar),ou seja,é muito louco cara!

"Encerramento da Era 128 bits."
Estou dizendo em aspas porque o Ps3,o Xbox 360,e o Nintendo Wii tem 128 bits também,a diferença é no poder de processamento.

Bem,aqui as coisas começaram a se complicar.Os produtores não se preocupam mais com as suas músicas,eles se focam muito mais no gráfico.Mas e aí,será que isso é certo?Será que os games não precisam mais de um trilha sonora boa?Só precisa ser "épica"(quero dizer,"empolgante",ou seja,é para empolgar mas não empolga)?

É,um game em que você controla um personagem fodástico,que inclusive eu critiquei muito o game em que esse personagem atua:
Sério,já cansei desse tipo de música,tá muito clichê,num tem nada demais,eu achei muito fraco,essa trilha de Mass Effect,não me empolgou nem um pouco.

Compare isso acima com isso abaixo: É muita diferença,muita mesmo essa música de Metal Gear Solid 4 que é boa,e não o tema de Mass Effect,que é genérico.Parabéns para Hideo Kojima por pensar muito bem antes de sair fazendo a trilha sonora de qualquer jeito.

E ainda bem que,como sempre,vem a Nintendo para salvar algo,mas desta vez é na trilha sonora nos games: Isto lembra os filmes antigos da Disney,que tinham o que?"Magia" de sobra,só que nesse caso é o famoso Super Mario Galaxy que voltou com essa coisa Mágica.

Essa série foi A Melhor Série de Simulador de Corrida.Carros super realistas,com física muito bem caprichada,e músicas de elevador,que muita gente odiava mas era muito relaxante: Porque não gostaram de músicas desse tipo?Sendo que são uma das melhores que tem,isso não é exagero.Queriam o que?Que só tivesse músicas de Rock?PFF.Muito melhor deixar desse jeito mesmo que está ótimo,e também parabéns a Polyphony Digital,que também se lembrou que games tem que ter músicas boas,e foi uma das únicas que lembrou. E assim eu encerro a geração 128 bits.O título da postagem é outro,então,respondendo a tudo isso,músicas fazem muita parte de um game,e sim,fazem a diferença,isso é FATO,não há jeito,e as trilhas sonoras estão sendo prejudicadas e pronto,é muito ruim mas temos que adimitir,não tem dessa de "AAA,A TRILHA SONORA DE SKYRIM É UMA DAS MELHORES QUE EU JÁ OUVI,PORQUE É ÉPICO".Aceitem os fatos,e como eu já disse,isso só vai nos prejudicar.

Gostou?Não Gostou?Não entendeu?Então comente aí,que eu vou estar aqui,pronto para lhes responder com todo prazer,e desculpa por colocar muitos vídeos mas é o jeito.Até a próxima postagem.

sábado, 20 de outubro de 2012

Análise: Crash Bandicoot 3: Warped


Galera do United Gamers, sejam bem-vindos a mais uma postagem! Hoje irei fazer mais uma análise, só que dessa vez de um jogo épico, execelente que serviu muito de inspiração para outros jogos, esse jogo é Crash Bandicoot 3: Warped. Primeiramente quero dizer que joguei esse jogo até o fim, mas não lembro muito bem das fases dele, então me avisem se eu fizer qualquer besteira. Outra coisa que eu tenho que falar é que chegou um novo admistrador no United Gamers, o Avenger Titanium, que é basicamente o Expocker em uma versão vingativa contra os hackers. Também quero informar a todos que nessa próxima semana eu irei fazer uma análise de Crash Team Racing, caso alguém achou que eu já iria passar para o Crash Bandicoot 4: Wrath of Cortex. Então sem mais delongas, vamos lá:

Uma história impressionante envolvendo o tempo!


Bom, a história do jogo começa depois de você ter destruido o Cortex Vortex, onde o dirigivel cai em um templo sagrado, despertando um espirito maligno. O espirito, depois de ter sido acordado, vai atrás de Dr. Neo Cortex, o culpando de ter falhado várias vezes e de ter sido derrotado por Crash Bandicoot, por mais uma vez. Para conseguir derrotar Crash Bandicoot por uma vez por todas, o espirito traz do tempo o Dr. Nefarious Tropy, para ajudar Dr. Neo Cortex a derrotar Crash Bandicoot. Enquanto isso, Crash Bandicoot, Coco Bandicoot, Polar, Aku Aku e Fake Crash estavam relaxando em casa, até que Aku Aku ouve a voz maligna de seu irmão, Uka Uka, o tal espirito despertado. Aku Aku ao ouvir a voz de seu irmão, revela para a fámilia Bandicoot que seu irmão despertou, e que provavelmente ele quer dominar o mundo, e que basta agora todos se unirem para derrotá-lo para não causar o mal ao mundo. A fámilia Bandicoot parte para salvar o mundo, menos Fake Crash e Polar, que resolvem ficar em casa para protege-lá. A história de Crash Bandicoot 3: Warped é ótima, na minha opinião, ela é a segunda melhor da série, perdendo apenas para a história do Crash TwinSanity.

Gameplay inovador e conservante ao mesmo tempo!


Bem, Crash Bandicoot 3: Warped foi um jogo da série que inovou muito a jogabilidade, pois o jogo trouxe várias fases variadas, entre elas a mais conhecida: as fases aquáticas. As fases aquáticas foram uma grande novidade para a série, pois nenhum jogo anterior possuia uma sequer fase aquática, por isso, uma inovação. O jogo também marca a primeira vez que nós podemos jogar com a Coco Bandicoot, onde jogamos com ela nas fases de Jet Ski, de correr com a Pura na muralha e na batalha contra o Dr. Nefasto Gin. O jogo também introduziu as fases de de corrida, onde nós pilotavamos uma moto e tinhamos o objetivo de ganhar uma corrida. Essas fases de corrida, futuramente iriam servir de inspiração para os jogos de corrida da série Crash Bandicoot. O jogo também marca a primeira aparição de Dingodille, chefão do jogo que futuramente iria ser um dos principais personagens da série. Falando em chefão, o jogo possúi 5 chefões, onde eles são Tiny Tiger, Dingodille, Dr. Nefarious Tropy, Dr. Nefasto Gin e Dr. Neo Cortex. Existem várias outras inovações que o jogo trouxe, mas não vou falar delas, se não irei ficar umas 2 horas escrevendo essa postagem.

Um jogo clássico que não deve ser esquecido!


Crash Bandicoot 3: Warped realmente inovou a história dos games, o jogo tinha tudo que uma pessoa podia imaginar naquela época, que já jogou realmente sabe do que eu estou falando. Crash Bandicoot 3: Warped é com toda a certeza um clássico que não deve ser esquecido, esse jogo foi um dos principais motivos da fama do carismatico Masurpial, tanto que o jogo é considerado por muitos o melhor de toda a série, já alguns, consideram o Crash TwinSanity o melhor de todos. Para mim, o melhor de todos é o Crash Team Racing, o jogo foi o que mais me divertia naquela época, mas se há alguma barreira em questão de jogos aventura e corrida, então o melhor de aventura na minha opinião é o Crash Bandicoot 3: Warped, e o de corrida óbviamente o Crash Team Racing. Se você não jogou, não perca tempo, procure um emulador e uma ROM do jogo, tenho certeza que esse jogo te dará várias horas de divertimento.

Gostou da postagem caro leitor? Se sim, fique tranquilo que nessa próxima semana eu irei fazer a análise do Crash Team Racing, um jogo que eu acho que marcou muito a infância de vocês também. Essa postagem fica por aqui pessoal, até a próxima postagem =D

sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Vídeos: Drama Mistery 2: Alegria Paradoxal + Introdução ao canal "Avenger"


Antes de verem o vídeo, quero esclarecer que não tinha editado esse vídeo por completo, dará para notar por causa da qualidade. Isso ocorreu porque eu o fiz (gravei e editei) em menos de uma hora, e era justamente a hora que eu estava disponível.

Whatever, vamos ao (s) vídeo (s) em si.
(Sugestão: ajuste a qualidade no Youtube para 460p, para melhorar um pouco)



Para quem está por fora do meu canal, veja, se puder, meu vídeo de introdução abaixo.


Gostaram? Cliquem em "Gostei" (JOINHA)
Muito? Favoritos.
Quer estar por dentro da postagem dos meus vídeos? Inscrevam-se.

Vlw, abraço, fui!

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Análise: Crash Bandicoot 2: Cortex Strikes Back!


Galera do United Gamers, sejam bem-vindos a mais uma postagem! Hoje irei fazer uma análise de um jogo íncrivel do PS1, o Crash Bandicoot 2: Cortex Strikes Back!. Para quem não sabe, há algum tempo atrás eu fiz uma análise do Crash Bandicoot 1, outro jogo do mesmo console, e pretendo fazer uma ánalise de todos os jogos da série Crash Bandicoot (que coragem a minha, ein?), até mesmo dos spin-offs. Não confunda esse jogo com Crash Bandicoot 2: N-Trance, pois apesar do nome, são jogos bastante diferentes, como também de plataformas diferentes. Esse jogo também é a estreia da Coco Bandicoot, irmã de Crash Bandicoot, que veio na série para substituir Tawna Bandicoot, do primeiro jogo, que era considerada muito "sexy" para um jogo infantil, então tiraram ela e colocaram a Coco Bandicoot. Mas o post não é sobre a série toda em geral, só do jogo mesmo. Então sem mais delongas, vamos lá:

Se a história do 1 foi boa, a 2 do foi ótima!


Bom, a história do jogo se começa depois que você derrota o Dr. Neo Cortex no primeiro jogo, onde ele cai do Cortex Vortex e por algum motivo não cláro, se depara com uma caverna, onde ele encontra um Crystal. Logo após pegar o Crystal, Cortex o leva para o Dr. Nefasto Gin, onde examina o Crystal, para ver se consegue encontrar outros com as estatísticas dele. Depois de examinar, Dr. N Gin consegue localizar os outros, porém diz ele que Dr. Neo Cortex não pode cuidar do trabalho, forçando ele a ter que pedir a ajuda a ninguém mais do que o Crash Bandicoot. Enquanto isso, Crash Bandicoot e sua irmã Coco Bandicoot estavam relaxando na praia; Crash Bandicoot dormindo e Coco Bandicoot pesquisando em seu Computador. Porém, para o azar do Crash Bandicoot, a bateria do Computador da Coco Bandicoot acabou, forçando o a buscar uma nova bateria. Mas no meio do caminho, Crash Bandicoot é teleportado por Dr. Neo Cortex, levando o para a Warp Room (sala de teleportação), onde rapidamente conversa com o Masurpial, mas não em pessoa, e sim com um holograma. Dr. Neo Cortex logo fala que ficou do lado bem, e que o Dr. Nitrus Brio (penúltimo chefe do primeiro jogo) quer dominar o mundo com os Crystais, e que cabe agora Crash Bandicoot pegar os Crystais antes do Dr. Nitrus Brio. Logo depois da conversa entre os dois (na verdade, só o Dr. Neo Cortex falou XD), Crash Bandicoot logo entra nos "teleportadores" para recolher os Crystais. Dr. Nitrus Brio, bravo por ter sido substituido por N. Nefesto Gin, descobre que Dr. Neo Cortex enganou Crash Bandicoot, e envia vários animais modificados para impedir Crash Bandicoot, porém todos se unem a Dr. Neo Cortex (por algum motivo não explicado), forçando o a ajudar Crash Bandicoot a impedir Dr. Neo Cortex, mas ele não consegue se conectar. Coco Bandicoot, informada por Dr. Nitrus Brio, se comunica com Crash Bandicoot, o avisando que Dr. Neo Cortex o enganou, e que agora ele precisa deter Dr. Neo Cortex e pegar as Gems. Apesar das críticas, a história do segundo jogo é muito boa, sendo até superior a do primeiro jogo, pelo menos na minha opinião.

 Se a jogabilidade do 1 era impresionante, a do 2 era épica!


Não há algo de se negar que Crash Bandicoot 2: Cortex Strikes Back! tem uma jogabilidade melhor do que o seu antecessor, pois nós agora temos a possibilidade de se agaixar e sair andando, uma coisa nova que não tinha no jogo antecessor. O jogo também tem mais fases variadas, pois no Crash Bandicoot 1 nós só tinhamos 3 tipos de fases: As normais, as de correr de uma bola gigante e as de montar em um javali e sair correndo que nem um doido, já nesse jogo nós temos novas fases, onde são: Nadar com um Jet Ski e desviar de bombas e outros objetos, andar em uma camera 2D estilo os jogos antigos, voar com uma mochila a jato em uma estação espacial e as fases onde você fugia de um urso gigante com o Polar. O jogo também teve vários bosses, onde eles são Ripper Roo, Tiny Tiger, Komodo Bros, Dr. Nefasto Gin e Dr. Neo Cortex. O jogo também introduziu expressões faciais para o Crash Bandicoot, onde nas fases de neve ele sentia frio, nas fases de lama ele andava devagar e nas fases de fugir do urso gigante ele ficava desesperado (XD). O jogo também introduziu as fases bonûs, onde a camera ficava 2D e você pegava as Wumpas, frutas famosas da série. O jogo também teve um novo sistema de jogabilidade, onde o jogador começava em uma espécie de "câmara" e tinha que chegar outra igual, mas se você pegasse todas as caixas, a câmara teria um Gem, onde você o pegava para completar mais ainda o jogo. Crash Bandicoot 2: Cortex Strikes Back! realmente inovou muito a série, na minha opinião foi um dos que mais inovaram.

Se o 1 foi famoso, o 2 foi uma estrela! 


Uma coisa que não se pode negar é que o Crash Bandicoot 2: Cortex Strikes Back! foi uma estrela em seu lançamento, pois além de ter sido o jogo mais vendido da série, foi o mais memorável de todos, tanto que já ganhou vários prêmios como "melhor jogo de 1997" ou "jogo mais memorável do Crash Bandicoot" e outros prêmios admiráveis desse grandioso jogo. O jogo também  foi o que teve as melhores músicas da série, pois só o seu tema principal, as fases aquáticas e as fases de esgoto já destrói todas as músicas da série, só não conseguem vencer o tema dos Evil Twins, que para mim é a segunda melhor música da série, perdendo só para o tema principal do primeiro jogo, que para mim é épico. O jogo também teve um dos melhores visuais da série, pois as fases são bonitas, as cores são lindas, os personagens são espetaculares e as Warp Rooms, meu Deus, são magnificas. O jogo fez tanto sucesso, que os jogos recentes da série fazer homenagens muito legais dele, como em Crash TwinSanity o visual do Tiny Tiger puxado para o desse jogo, em Crash Bandicoot Nitro Kart 2 o visual do Ripper Roo baseado no Dr. Roo desse jogo e outras referências bem legais. Na minha humilde opinião, esse é o terceiro melhor jogo da série Crash Bandicoot, perdendo apenas para o Crash Bandicoot 3: Waped e o Crash Team Racing, pois nunca joguei o Crash TwinSanity (não tem para o GameCube XD).

Gostaram da análise caros leitores? Se sim, aguardem por mais análises da série Crash Bandicoot, só lembrando que o próximo será o Crash Bandicoot 3: Warped. Essa postagem fica por aqui pessoal, até a próxima postagem =D

domingo, 14 de outubro de 2012

Meu Top 5-Games de Luta (SNES)

Fala galera,estou eu aqui em mais uma postagem,e essa (eu acho) vai ser bem contraditória.

Bem,anteriormente,eu havia falado de uma série muito jogada pelos gamers antigos e novos também,Mortal Kombat,e pode saber que ele já tem um lugar reservado aqui,no Meu Top 5.


                                                                5-Samurai Shodown

O primeiro grande jogo de luta aonde usamos armas para desferir golpes nos nossos adversários,veio para ocupar um espaço nesse genêro.Havia uma jogabilidade muito calibrada,havia vários combos e contra-ataques,que são essenciaisem games de luta,os visuais eram fantásticos(lembra-se dos games da Snk?O visual é idêntico ao desse game),a trilha retrata muito bem o território japonês,e ainda por cima o game era muito divertido se jogado em Versus (porque o game era bem difícil no modo Single Player).Isso tudo faz com que ele comece a lista no Meu Top 5.

                                                                 4-Mortal Kombat 3

Eu sei que muita gente acha o MK2 melhor do que todos os Mks,mas na minha opinião,é a terceira versão que ocupa esta posição.Por que?Eu te respondo,porque ele tinha vários personagens jogáveis,extras de sobra,como a possibilidade de jogar com o Shao Khan,ou o minigame da navinha- que aliás é lembrado por poucos.Além disso o game tinha jogablidade mais calibrada,transições de arena,adição de vários combos,músicas eletrizantes e gráficos muito bem digitalizados(era uma inovação para a época),os fatalities.O game não era o que tinha a melhor jogabilidade no genêro luta,ela era muito desequilibrada,mas mesmo assim o game ocupa a quarta posição.
                                     
                                                                     3-Killer Instinct
A maioria das pessoas,quando pensa em gráficos digitalizados(em games de luta),lembram-se de Mk 1, 2 3,mas se esquecem que tem um game que (na minha humilde opinião) foi melhor do que ele:Killer Instinct.
O game tinha os um dos/o melhor gráfico em um game de luta do Snes,a jogabilidade era muito variada,com vários,imensos,ULTRA! combos e Combo Breakers para se fazer,tudo ajustado do jeito certinho,os sistema de combos era uma maravilha,tudo funcionava direitinho.Além disso o game tinha um conteúdo maduro e com uma trilha sonora muito caprichada,as músicas se encaixavam com o cenário (como o tema do Fulgore),e os efeitos sonoros eram de cair o queixo.
      

2-Street Fighter Alpha 2
Alguns devem achar que esse é game um daqules ports de fliperamas que ficam bem limitados,mas esse game me surpreendeu,foi um port excelente,tinha aquela jogabilidade cadenciada,com aqueles imensos combos,supers,contra-ataques,que vimos na série Alpha,a jogabilidade era muito equilibrada,era praticamente perfeita,continha sprites muito bem desenhados,parecia que melhor que isso não seria possível,os efeitos sonoros foram levemente prejudicados,mas não há tanta diferenças.Esse game é um daqueles ports "perfeitos",eu recomendo que todos vocês leitores joguem ao menos uma vez a versão de Snes,só para sentir um gostinho.

                                                                        1-Street Fighter 2
       
Hadouken!
Quando eu vi Street Fighter 2 pela primeira vez,eu babei,fiquei de queixo caído,não acreditei que aquilo era um jogo,parecia que eu estava assistindo a uma luta em um desenho animado.
Tudo aqui era caprichado:
As fases,as animações,os personagens,os golpes,os combos,os contra-ataques,as músicas,tudo,se encaixava em seu devido lugar.
Foi esse game que veio para definir o genêro luta,em que os games desse genêro deveriam ter uma jogabilidade fluída e,músicas,personagens e cenários bem desenhados,e acima de tudo,a diversão.Isso tudo Street Fighter 2 fez,e continua fazendo ao longo dos anos.

É gente é isso aí,lembrando,é o Meu Top 5 e não um Top 5 em geral,e eu só não coloquei em geral para não causar brigas,se concordarem comigo eu até coloco só Top 5.Comentem aí,e até a próxima postagem.

sábado, 6 de outubro de 2012

Mortal Kombat "9"- Uma reformulação que não trouxe a magia dos seus "antepassados"

Fala galera,estou eu aqui com mais uma postagem,depois de muito tempo,quero pedir desculpas por eu ter ficado meio inativo em relação ao blog ,mas é que estou ultimamente com poucas ideias.
Mortal Kombat "9" foi lançado para Ps3/Xbox360 em 2011,feito pela Netherealm Studios,para tentar trazer de volta a nostalgia e qualidade do auge da franquia (Mortal Kombat 1 2 e 3),porque a série tava toda estragada,tava ficando,sinceramente,um lixo.
Os fãs queriam uma reformulação completa,da jogabilidade às músicas,tudinho mesmo,porque já estavam muito chateados com o rumo que a série tinha tomado nos últimos anos.

Mortal Kombat 1 foi marcado pela violência incluída,que foi daí que começaram as classificações etárias nos games,chamada Esrb.

 O Mortal Kombat 2 incluía vários golpes,um clima mais obscuro,e ainda mais violência,com a adição de vários fatalities e sons que davam um certo arrepio.É considerado o melhor MK de todos os tempos.


O último Mortal Kombat de qualidade extrema,foi o 3 (o Ultimate nem o Trilogy contam,já que um é uma "atualização" e outro uma "reunião"), continha um clima mais sombrio ainda,vários estágios marcantes,como o The Subway(Metrô),e ainda trouxe uma trilha sonora de cair queixo.

Bem,esse foi um resumo do auge da série MK,mas a postagem é sobre o novo Mortal Kombat,e é sobre ele que eu vou falar agora.

Eu ,quando peguei pela primeira vez nesse game,tive uma impressão muito boa,mas tempos depois desse acontecimento,eu fui percebendo muitas falhas ou coisas mal feitas.
O game tem uma jogabilidade mediana,pois é muito descalibrada,desequilibrada e travada,vou falar alguns exemplos:
.Quando se está se utilizando o Sub-Zero,tem um golpe que ele forma um clone de gelo,mas se você fizer isso perto do oponente,o golpe não funciona.
.O Sub-Zero parece que tem um peso incomum nos seus golpes,ele realmente é muito lento,aquele golpe que ele solta gelo no chão é muito lento,acaba atrapalhando muito.
.O Shao Khan é quase invencível com uma luta corpo a corpo,e isso torna o jogo mais desequilibrado.

Além disso tudo,como eu já disse,a jogabilidade é muito travada,assim como a série quase sempre foi.
O sistema de emendar os combos não é bom,tanto que há no máximo um combo normal,sem golpes especiais,só com uns 3 hits (se não me engano),e estes mesmos combos são pouquíssimos. 
Continuando a falar da jogabilidade,não sei se vocês se lembram mas o Mk3 incluía transições de arena,por exemplo,na fase The Bank,você dava aquele soco pra cima,o oponente ia parar na arena The Rooftop,e isso não foi implementado no novo MK,eles não deveriam ter deixado para trás.


O gráfico do game é um fator muito elogiado pelos fãs,mas era pra ser muito criticado,então,vejamos:
A iluminação não é das boas(e é um dos principais fatores para os gráficos),repare o sangue no chão,nem parece sangue parece tinta,as texturas também não são boas,o jogo tem muitos serrilhados,lembrando,que MK é um jogo de luta,ele tem a obrigação de ter um gráfico bem melhor que isso,pois jogos de luta são simples demais,ainda mais que se trata de MK,que é um dos jogos mais simples no gênero.Então coube muito espaço no disco para eles fazerem um gráfico muito acima disso,e só para comparar,lembram-se dos gráficos dos 3 primeiros MKs?
Não?Então olhem:
Eram muito bem digitalizados,isso era uma inovação para a época,os personagens eram reais,as arenas também,e a iluminação era ótima,porque eles não fizeram nesse estilo?
Além disso,os personagens de MK9 parecem bonecos com ombro quadrado(até o Liu Kang!):
Agora cheguei em uma parte crucial para o jogo:a trilha sonora.
Eles estragaram a trilha de MK,fazendo remixes ridículos,dá até para rir,sinceramente,a trilha sonora de MK9 é uma porcaria,nem consegue ser melhor que a dos antigos,é obrigação ser pelo menos tão boa quanto os antigos MKs.Olhem só:
The Pit MK3:


The Pit Mk9

Nem preciso falar qual é a melhor. Tirou todo aquele clima obscuro que era presente nos 3 primeiros Mks,acabou com a trilha,e depois pesquisem sobre a Rooftop de Mk3,e compare com a de Mk9,chega a ser ridículo a diferença. Agora eu cheguei na melhor parte:os fatalities. De novo eles falharam,os fatalities são ridículos,cadê os caras gritando que nem um louco,cadê os barulhos dos ossos se despedaçando,os fatilites não estão violentos... Eles estão só nojentos! Violência é uma coisa,nojeira é outra! Os X-rays são mais violentos que os fatalities(LOL),isso é ridiculamente ridículo.
Dêem uma olhada: Fatlity 1 do Scorpion

O Sub-Zero levou uma espadada e só deu 3 gritinhos:"Á,Ur,Á". Agora olhem o do Ultimate Mortal Kombat 3:


Lembrando que nem é um dos fatalities mais violentos.
Para os leitores fanboys(só pra vocês)não ficarem muito bravos,minha série preferida de luta é MK,por isso eu estou criticando,porque eu quero que fique do melhor jeito possível,e eu não estou satisfeito com esse game,e vocês estão muito cegos para ver esse monte de defeitos e falta de clima sombrio no game,mas eu não estou.Mk9 é um jogo bom,mas(na minha humilde opinião) não passa disso,nem chega perto dos melhores games de luta como Street Fighter,Soulcalibur,etc
Bem gente é issso aí,não deixem de comentar,e até a próxima postagem.:)

sexta-feira, 5 de outubro de 2012

Análise: Crash Bandicoot 1


Galera do United Gamers, finalmente voltei! E agora trago para vocês uma análise do Crash Bandicoot, um clássico inesquecivel e muito carismatico do PlayStation 1, grande console da minha infância, e acredito eu que ele marcou a infância de vocês também. Para quem não o conhece (se é que existe alguém que não o conheça), Crash Bandicoot era o mascote da Sony nos anos 90, mas perdeu a exclusividade nos anos 2000, tanto que hoje em dia, se acha jogos dele até para Iphone. Crash Bandicoot teve vários títulos, como suas sequências Crash Bandicoot 2: Cortex Strikes Back!, Crash Bandicoot 3: Warped, Crash Bandicoot 4: Wrath of Cortex e Crash Bandicoot 5: TwinSanity! (também conhecido só como Crash TwinSanity!). Crash Bandicoot também teve vários Spin-Offs, como Crash Team Racing, Crash Bash, Crash Nitro Kart, Crash Tag Team Racing e Crash Boom Bang!. Mas a análise mesmo é do jogo, então sem mais delongas, vamos lá:

O começo de uma longa série de aventuras loucas!


Bom, a história do jogo (ou dá série) começa no laboratório de Dr. Neo Cortex, junto de seu capanga Dr. Nitrus Brio, onde ambos estão modificando um grupo de animais. Como de costume, os vilões sempre querem dominar o Mundo, e essa história também não é diferente em Crash Bandicoot. Cortex e Brio, querem modificar animais para fazerem um exército, para poderem dominar o mundo, onde fazem mutações com um Canguru, um Koala, um Potorro e um Bandicoot. Todos eles dão certo, menos o Bandicoot, que por um acidente do Evolve Ray, que é uma maquina de mudar os animais, que foi feita pelo Nitrus Brio. Na verdade, o culpado de tudo mesmo é o próprio Cortex, pois Brio disse que a maquina ainda não estava pronta, mas mesmo assim Cortex insistiu para usá-la já desde então. Com esse erro tremendo, Crash Bandicoot consegue fugir do Castelo (onde fica o laboratório), mas esquece sua namorada, Twana Bandicoot, o que faz com ele tenha que voltar para o castelo. Para quem não entendeu, essa maquina de mutação fazia com que os animais ficassem do mal, mas Crash Bandicoot não adquiriu maldade, sendo assim, o único animal a não ter pego maldade do Evolve Ray. Depois de fugir do castelo, Crash Bandicoot acorda em uma praia da ilha, não lembrando de nada, apenas de seu objetivo, onde ele segue em frente, derrotando inimigos, cientistas e até mesmo os animais que ele estava junto antes de sua transformação, mas agora eles estavam do mal, querendo fazer nada mais do que destruir Crash Bandicoot. Como você observou, a história do jogo é muito boa, como também muito bem planejada para o primeiro jogo de uma série muito longa que viria em frente.

História boa, gameplay bom!


Bem, o gameplay do jogo é muito bom, pois você conta com vários golpes do Masurpial, onde ele gira, dá uma rasteira e também se agacha, para se proteger de tiros e outros objetos de lançamento. No jogo, você também conta com a mascara Aku-Aku, que lhe dá no jogo proteção, mas se você levar dano, a mascara é destruida, tirando sua proteção, mas é cláro que existiram outras mascaras para frente, óbviamente. Essa mascara também sobe de nível, onde se você tiver já uma mascara e for pegar outra, você ganhara uma dupla proteção, onde se você levar dano, você perderá só um nível, e continuará com o original. A mascara também tem o seu nível 3, onde você fica invencivel (em um estilo parecido da estrela do Super Mario), destruindo tudo que você vê em sua frente, e você nunca levará dano (se é invencivel, é lógico que você não leva dano -_-), e apenas encostando nos inimgos já os mata, mas esse poder da mascara de invencibilidade é só por um curto tempo, pois depois de uma certa hora, você volta a ficar no estado do nível 2. O jogo também conta com o poder do pulo, que é bastante óbvio estar em jogos plataforma, mas o pulo nesse jogo tem dupla importância, não só para evitar buracos ou inimigos, mas também para matar chefes. E falando em chefes, no jogo você tem 6 para derrotar, esse chefes são Papu-Papu, Ripper Roo, Koala Kong, Pinstripe Potorro, Dr. Nitrus Brio e Dr. Neo Cortex. No jogo você também conta com as frutas Wumpa, que são uma espécie de maça misturada com pessêgo, onde se você pegar 100 delas, você ganhará um vida. No jogo você também contará com várias caixas, sendo elas as ? Boxes, Wumpa Boxes, TNT Boxes, Nitro Boxes e as Iron Boxes. O jogo ele também teve vários itens para se coletar, onde te dão vidas e outros recursos. O primeiro jogo da série já recheado de coisas, imagine então os jogos seguintes da série.

Por traz da criação do Masurpial!



O que poucos sabem, é que Crash Bandicoot teve muitas mudanças em sua fase de criação, entre elas o seu nome, que originalmente seria Willie The Wombat e sua aparência, que seria muito mais puxada para o Taz, o Diabo da Tasmânia dos Looney Tunes. A Naughty Dog, a criadora do Masurpial, teve vários projetos antigos para o Bandicoot, mas todos foram rejeitados pela Sony e a Universal, que estaria apoiando a Sony no desenvolvimento. Originalmente, a Universal insistiu que a Naughty Dog colocasse o nome do Masurpial de Willie The Wombat, mas a Naughty Dog, como esperta, rejeitou o nome, ameaçando abandonar o projeto se o nome do Bandicoot não fosse Crash Bandicoot. A Naughty Dog, como parceira da Sony, lançou o jogo exclusivamente para o PlayStation 1, fazendo se assim, o mascote da Sony. De acordo com ela mesmo, Crash Bandicoot foi feito para competir com Super Mario e Sonic The Hedgehog, da Nintendo e da Sega, pois como de costume, todo o console tem que ter um mascote em suas costas, esse mascote do PlayStation 1 era o Crash Bandicoot. O contrato da Universal com a Naughty Dog só durou 3 anos, fazendo se que a Naughty Dog abandonasse o Masurpial. Muitos fãs preferiam o Crash Bandicoot nas mãos da Naughty Dog, pois atualmente os jogos do Crash Bandicoot perderam sua qualidade, e alguns deles são realmente horríveis, eu preciso mencionar o Crash of Titans e o Crash Mind Over Mutant nessa lista? Acho que não, já que os fãs já conhecem esses lixos da série, e para mim, a série Crash morreu no Crash Tag Team Racing, pois nenhum dos próximos jogos agradou os fãs, na verdade, nenhum deles possúia algo relacionado com a série. Atualmente a série parou de ter jogos, sendo considerada morta nessa geração, mas não se preoculpe, o Masurpial ainda voltar (isso se a Activision deixar, já que os direitos dele estão nas mãos dela atualmente).

Gostaram da postagem caros leitores? Se sim, aguardem por mais análises aqui no United Gamers, pois eu prometo, mais para frente terá análises de outros jogos da série Crash Bandicoot. Essa postagem fica por aqui pessoal, até a próxima postagem =D